Com mais de 150 atletas, Escolinha de Futebol “Potiraguá” necessita de apoio

Fundada em 10 de janeiro do ano de 2017, a Escolinha de Futebol “Potiraguá”, tem despertado sonhos de muitas crianças e adolescentes do município de Potiraguá, e nesta semana em que se comemora o Dia das Crianças, o Blog do Edyy foi acompanhar de perto esse lindo trabalho desenvolvido pelo ex-jogador de futebol profissional Walter de Oliveira Moreira, mais conhecido como (Peta), que com muitas dificuldades mas também com muita dedicação tem ofertado a maior parte do seu tempo na escolinha.

A vontade de ter um futuro melhor e brilhar nos gramados mundo afora é o desejo dos mais de 150 atletas que participam da Escolinha de Futebol Potiraguá.

Na tarde da última segunda-feira (07), o Blog do Edyy esteve presente e pode acompanhar passo a passo de como funciona esse projeto social.

Com treinos de segunda a sábado, o projeto ensina a gurizada dos 7 aos 17 anos não só o esporte, mas também a disciplina que se exige de um atleta. De acordo com o presidente (Peta), para entrar no grupo, o atleta precisa estar estudando, ter boas notas na escola, respeitar os pais em casa, se comportar e ter a idade adequada.

Foto durante jogo em Itarantim

O trabalho da Escolinha Potiraguá ainda vai além. O professor também reúne a garotada e leva para a igreja para louvar o nome do Senhor Jesus.

Apesar do sucesso local do projeto social, a ação precisa de ajuda da população para expandir. Atualmente o presidente da Escolinha vive com um salário de R$ 1,400,00 reais, da Prefeitura Municipal que é dividido para três pessoas; Alessandro de Oliveira Moreira (Léo baiano) e Walas, que é treinador de goleiro, que ajudam a desenvolver este trabalho, onde se torna pouco para manter as despesas do projeto.

“Hoje a nossa maior carência é a falta de alguns matérias esportivos para que nós possamos ter condições de fazer um trabalho de mais qualidade, mas que graças a ajuda de amigos temos superados as dificuldades. Um ato lindo que começou com Juliane, que é filha de Potiraguá e que hoje reside em Salvador, onde ela tem doado roupas e tênis, para essa garotada. Marcos de “Água Rala”, que também nos ajudou trazendo cones, chuteiras e bolas, Jorge Guarda, que sempre que possível consegue chuteiras com os comerciantes, e também tem Zé Roberto, que nos ajuda arrecadando frutas para as crianças durante os sábados”. Destacou Peta.

De acordo com o presidente, que expôs à nossa reportagem a sua maior dificuldade, afirmou que a ajuda não precisa ser em dinheiro, e sim em materiais esportivos para qualificar o ensino e os jogos dos atletas; uniformes, chuteiras, meiões, bolas, dentre outros.

Para doações, você poderá entrar em contato com Peta, presidente da escolinha, pelo Whatsap (73) 98177-5407

Confira algumas fotos do projeto


Comentários

Deixar uma Resposta