Polícia Civil considera improvável que morte de Hiago tenha relação com a atividade de transporte por aplicativo

A Polícia Civil considera remota a possibilidade de que o assassinato do universitário Hiago Evangelista Freitas, de 24 anos, tenha relação com a sua atividade de motorista por aplicativo.

De acordo com o delegado da Delegacia de Homicídios, Marcus Vinícius, as investigações estão avançando e são remotas as possibilidades de que o crime tenha sido motivado por uma disputa de categorias de transporte. O delegado afirma que as investigações apontam para outro caminho.

Horas depois do corpo de Hiago ser encontrado, foram publicados áudios nas redes sociais afirmando que o caso tivesse relação com disputas entre motoristas de aplicativo e taxistas. Para o delegado as afirmações não procedem e são inconsequentes.

Um adesivo de aplicativo foi encontrado ao lado do corpo de Hiago sob uma pedra. Policiais civis acreditam que pode ter havido uma tentativa de enganar a polícia para que não seja descoberto o verdadeiro motivo do crime.

O delegado não revela detalhes, mas é possível perceber que a PC está bem próxima de revelar o motivo da morte de Hiago. Blitz Conquista


Comentários

Os comentários estão fechados.