COVID-19: A pandemia da década

COVID-19 – A PANDEMIA DA DÉCADA
Fernando Araújo Rocha, graduando em odontologia, faculdade de tecnologia e ciências – UniFtc, membro da sociedade brasileira de imunologia 11511, [email protected], Salvador, Bahia – Brasil
Homenagem: Quero agradecer ao meu bom Deus pelo dom da vida, a minha mãe Neusa Rocha por tornar este sonho possível e a todos os meus professores, em especial Dra. Isis Fernandes por todo incentivo e apoio, o profissional que estou me tornando tem um pedacinho de todos vocês!

Resumo: O objetivo desse trabalho tem como função de trazer informações sucintas e diretas numa linguagem mais amigável, ao ponto em que todos que lerem possam compreender e adotar medidas preventivas, para que, então possamos interromper a propagação do COVID-19.

Introdução: Para começarmos essa breve reflexão devemos entender o que é essa tal pandemia que ouvimos falar em todos os meios de comunicação. A pandemia ocorre quando uma determinada doença se espalha por umas grandes quantidades de países, em outras palavras, quando ela sai do seu local de origem e chega em outras regiões do globo1. Devemos reiterar que existe uma diferença grande quando comparamos epidemia e pandemia, uma vez que a epidemia pode ocorrer em municípios, estados e até no país inteiro.

Uma das doenças mais comuns no nosso país cuja a população não dá a devida importância é a dengue e sua transmissão vem ocorrendo desde 1986.2
Desenvolvimento: Em dezembro de 2019 foi o ano que a China e o mundo ficaram intensamente preocupados com um surto de uma pneumonia até então totalmente desconhecida, levando as autoridades competentes a criar planos estratégicos de isolamento e investigação para controlar aquela epidemia. Em 2020, especificamente em 07 de janeiro a China revela que seus cientistas haviam isolado um novo tipo de coronavírus, e deram um novo provisório de 2019-nCoV.3

“A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:  gotículas de saliva; espirro; tosse; catarro; contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão; e contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.” (Fiocruz acompanha situação do novo coronavírus no Brasil, 2020)4

Segundo recomendação do Ministério da Saúde lavar as mãos frequentemente com água e sabão, evitar aglomerações, não compartilhar objetos pessoais, cobrir nariz e boca ao tossir e espirrar são pontos fundamentais para se prevenir e ao menos tempo impedir que o COVID-19 se espalhe. 5

Em fevereiro e março de 2020, o Departamento de Saúde Pública de Chicago (CDPH) começou uma grande investigação sobre uma aglomeração multifamiliar do COVID-19. Os pacientes que testaram positivo e as pessoas do seu cotidiano foram entrevistados para melhor entendermos a transmissão não-residencial da comunidade da SARS-CoV-2.

“Os relatórios da mídia sugerem que a cadeia de transmissão descrita em Chicago não é única nos Estados Unidos. § Juntamente com evidências emergentes de todo o mundo (10), esses dados lançam luz sobre a transmissão além dos contatos das famílias, incluindo o potencial de super propagação de eventos.” 6

Depois de anos que, o Sistema Único de Saúde (SUS) foi implementado no Brasil e caracterizado como um instrumento de cidadania a partir do seu perfil social o mesmo sofreu diversos avanços e retrocessos, geralmente por manobras políticas.7

Apesar disso, vale ressaltar que apesar de opiniões divergentes entre governo federal, estadual e congresso nacional, é notório o empenho de buscas e alternativas para ajudar a sociedade em si, principalmente aqueles mais afetados, um grande exemplo disso é o auxílio emergencial proposto pelo governo federal. 8

O Ministério da Saúde por sua vez tem exercido um excelente papel no combate ao COVID-19, investindo em pesquisas cientificas e capacitando os profissionais de saúde para essa doença que pegou o mundo inteiro de surpresa.

Conclusão: Perante ao cenário de pandemia que nos encontramos, todas e quaisquer informações são de suma importância para que a sociedade em si possa se proteger e montar estratégias perante aos órgãos competentes. São necessárias informações mais sucintas e diretas para entendermos a transmissão comunitária e domiciliar para que, então, possamos unificar e regulamentar o início e fim de políticas de saúde pública relacionadas ao distanciamento social, que evidencialmente é útil para barrarmos a propagação do COVID-19.

Referências bibliográficas:
SANTOS, Vanessa Sardinha dos. “Pandemia”; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/doencas/pandemia.htm. Acesso em 13 de abril de 2020.

MENDES, Simone et al. ASPECTOS SOCIOAMBIENTAIS RELACIONADOS AO INCREMENTO DOS CASOS DE DENGUE EM MATO GROSSO, BRASIL. Rondonópolis: Terra Plural, 2019.

WANG, Chen et al. A NOVEL CORONAVIRUS OUTBREAK OF GLOBAL HEALTH CONCERN. The Lancet, 2020.
(Fiocruz acompanha situação do novo coronavírus no Brasil, 2020) https://portal.fiocruz.br/noticia/fiocruz-acompanha-situacao-do-novo-coronavirus-no-brasil
(O que é coronavírus? (COVID-19), s.d.) https://coronavirus.saude.gov.br/
Ghinai I, Woods S, Ritger KA, et al.

Transmissão comunitária de SARS-CoV-2 em dois encontros familiares – Chicago, Illinois, fevereiro a março de 2020. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. EPub: 8 de abril de 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.15585/mmwr. mm6915e1
GOMES, Antonio Marcos Tosoli; OLIVEIRA, Denize Cristina de; SA, Celso Pereira de. O Sistema Único de Saúde na representação social de usuários: uma análise de sua estrutura. Rev. bras. enferm.,  Brasília ,  v.

64, n. 4, p. 631-638,  Aug.  2011 .   Available from<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672011000400002&lng=en&nrm=iso>.accesson  14  Apr.  2020.  https://doi.org/10.1590/S0034-71672011000400002.
(Solicitar Auxílio Emergencial de R$ 600 – Coronavírus – Covid-19, 2020) https://www.gov.br/pt-br/servicos/solicitar-auxilio-emergencial-de-r-600-covid-19


Comentários

Os comentários estão fechados.