“Seja você a mudança que quer ver no mundo”. Essa frase é de Gandhi, líder indiano, e referência quando o assunto é a luta de um mundo melhor. A reflexão trazida por ele mostra, dentre outras coisas, que as nossas ações ecoam de forma significativa na realidade. E, na manhã desta sexta-feira (03/08), uma dessas ações positivas trouxe mais alegria para uma família carente de Iguaí.


Uma confusão tomou conta do luxuoso condomínio Parque Interlagos, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), na madrugada do último domingo (29). O som de uma festa “tirou do sério” um coronel da PM, morador do local, que decidiu obrigar que fizessem silêncio de forma nada pacífica. Para isso, ele apareceu portando duas pistolas ameaçando quem estava no evento e também os seguranças do condomínio.

Completamente descontrolado, o coronel Mário Camargo, como fez questão de se identificar no momento da confusão, chega em um carro e começa a gritar para que desligassem o som da festa. A confusão e ameaças foram filmadas e enviadas à reportagem do BNews. A filha do coronel também aparece nas imagens tentando controlar o pai, que chega a tentar agredir um dos seguranças que registrava os vídeos.


Um acidente durante uma brincadeiras entre crianças deixou apavorados os moradores da cidade de Santa Luzia, no sul da Bahia, neste domingo (22). Um menino de oito anos, identificado pelas iniciais R.S.S, ficou com um espeto de churrasco cravado no olho e foi socorrido ao Hospital Calixto Midlej Filho, na cidade de Itabuna, que fica a cerca de 100 quilômetros de Santa Luzia.

O palito foi cravado por um amigo da vítima enquanto brincavam. Uma foto do raio-x da face da criança foi divulgada pelo hospital e mostra a posição do espeto na cabeça do garoto. Segundo a a Santa Casa de Misericórdia de Itabuna, que administra a unidade, o objeto passou pelo seio cavernoso e ficou no tronco encefálico.

O menino precisou passar por uma cirurgia para remover o objeto e foi levado para o Centro de Tratamento e Terapia Intensiva do Hospital Manoel Novais, também administrado pela Santa Casa, no final da tarde, onde permanece com quadro estável de saúde.


O pré-candidato ao governo do estado, Zé Ronaldo (DEM) é desconhecido no sul da Bahia, mas conseguiu viabilizar palanques nas principais cidades do sul da Bahia. O “QG” do governo do estado acreditava que Zé teria dificuldade de montar palanque nesta região.

Zé conseguiu viabilizar uma grande articulação em Ilhéus, com o apoio de 12 vereadores, e além do pré-candidato a deputado federal Cosme Araújo (PDT). Em Itabuna ele conta com o apoio de vários vereadores, além do deputado estadual Augusto Castro (PSDB), do pré-candidato a deputado federal Mangabeira (PDT) e do ex-prefeito Capitão Azevedo (PTB).

Já na região, Zé tem o apoio dos prefeitos de Uruçuca (Moacyr), Buerarema (Vinicius), Jussari (Valete), Santa Cruz da Vitória (Carlos André) e Coaraci (Jadson), além da oposição de Floresta Azul, Ibicaraí, Itajuípe, Una e Canavieiras.

Políticos do sul dá Bahia


A Companhia de Eletricidade da Bahia (Coelba) anunciou, na noite desta sexta-feira (13), que fechou um acordo com a Caixa Econômica Federal (CEF) e restabeleceu contrato com o banco para que os pagamento das faturas da conta de luz seja feitos nas casas lotéricas de todo o estado da Bahia

Conforme a Coelba, os consumidores já poderão fazer o pagamento nas lotéricas a partir de sábado (14).


O prefeit de Salinas das Margaridas, Wilson Pedreira (PSD) tem 30 dias para exonerar a filha Lorena Pedreira que é secretária de Assistência Social do município. O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) constatou a prática de nepotismo ao examinar contratos da pasta que beneficiavam empresas ligadas à secretária.

No documento, o órgão aponta a prática: “irregularidades cometidas em sua gestão, especificamente pela nomeação de sua filha para o cargo de Secretária Municipal de Assistência Social, bem como firmar contratos com empresas ligadas a parentes da referida Secretária, em diversos processos licitatórios, o que configuraria a prática do que se convencionou chamar de ‘nepotismo em licitação’, conforme detalhado na peça de Denúncia (fls. 01/08), e documentos de fls. 09/54”.

De acordo com o TCM, a secretária firmou contratos com a empresa “SUPERMERCADO, PANIFICADORA E PAPELARIA TE LTDA., inscrita no CNPJ sob nº 03.534.9935/0001-46, a qual pertenceria ao sogro da referida Secretária. Referidos contratos somariam um total de R$257.202,80”.

Os processos foram realizados por dispensa de licitação, o que chamou a atenção. “O segundo aspecto da Denúncia diz respeito à contratação de empresa ligada à referida Secretária, realizadas por dispensa ou por meio de processos licitatórios de pregão”.

Na justificativa, o prefeito apontou que a empresa foi contratada por apresentar a melhor proposta para o município.

O TCM concluiu “como configurado o nepotismo em tal situação, mesmo se tratando de cargo político”. O órgão aplicou multa de R$ 2 mil ao gestor com ressarcimento ao erário, além da exoneração da filha.

Casos envolvendo o prefeito

Não é a primeira vez que o prefeito de Salinas comete irregularidades na gestão. Em 2017, a Polícia Federal investiga um suposto crime eleitoral cometido na campanha. De acordo com informações do processo no site do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), o inquérito da PF apura se houve caixa dois.

A família do prefeito ainda é envolvida em escândalos. Em maio deste ano veio à tona a agressão física do filho do alcaide, Filipe Fernandes Pedreira foi acusado de espancar e cortar cabelo da esposa em Santo Antônio de Jesus.


O concurso da Polícia Civil da Bahia (PC-BA), suspeito de diversas irregularidades segue na mira do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA). Na segunda-feira (18), o promotor Adriano Marcus Brito de Assis fez recomendações ao secretário de Administração do Estado, Etelvino Góes, e ao delegado geral da Polícia Civil da Bahia, Bernardino Brito Filho.

O Ministério Público já investigava o certame por denúncias de fraude. Agora, diversos candidatos enviaram representações ao órgão questionando a conduta da Vunesp em atribuir peso às questões. Os participantes do concurso reclamaram dos pontos atribuídos a cada uma das questões da prova. O edital de abertura dá a entender que a prova objetiva valeria 100 pontos no total, já considerando tanto as questões de conhecimentos gerais quanto específicos.

Além disso, foi estabelecido que, para ser considerado aprovado nesta etapa, era necessário alcançar 70 pontos. O entendimento principal é que era preciso acertar 70 das 100 questões da prova, mas os candidatos foram surpreendidos com o resultado preliminar da prova, divulgado em 25 de maio no site da Vunesp, quando a avaliação totalizou 200 pontos. Assim, as 30 questões de Conhecimentos Gerais totalizaram peso de 3,33 pontos cada uma. Enquanto as 70 questões de Conhecimentos Específicos registraram peso de 1,43 por questão.

Diante da situação, o promotor indicou que o titular da Saeb e o delegado geral “se abstenham de praticar qualquer outro ato de prosseguimento do aludido certame seletivo”, realizado pela Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp).

Além disso, Adriano Brito sugeriu que “anulem a correção das provas objetivas, refazendo-a segundo o molde “previsto no edital e adotado ordinariamente pelo Estado da Bahia em outros concursos públicos, qual seja, de correção das provas de conhecimentos gerais e de conhecimentos específicos mediante a aplicação de 100 (cem) pontos para o total das 100 (cem) questões aplicadas nos exames”.

O promotor designou ainda uma audiência na 30ª Promotoria no prazo de 48 horas.

Análise dos recursos
A análise dos recursos contra as provas objetivas, prevista para ser divulgada no dia 15 de junho, deve ser divulgada até o fim de junho. “A Fundação Vunesp está avaliando as provas com bancas especializadas e mantendo o rigor na avaliação para que nenhum candidato seja prejudicado”, informou a banca à Folha Dirigida

A Vunesp não se manifestou sobre o método de correção de provas e as possibilidades de a banca mudar seu posicionamento. Segundo a organizadora, informações serão divulgadas primeiramente no Diário Oficial do Estado, depois no site da banca organizadora. A banca informou ainda que a Secretaria de Administração da Bahia (Saeb) emitiria uma nota com um posicionamento sobre o atraso do cronograma, mas até o momento nada foi divulgado.


O presidente do Tribunal de Contas dos Municípios, conselheiro Francisco de Souza Andrade Netto, em edital publicado na edição desta terça-feira (12/06) do Diário Oficial, notificou os presidentes das câmaras municipais da Bahia para que encaminhem, num prazo máximo de 30 dias, os decretos legislativos, acompanhados das atas de julgamento das contas municipais relativas aos exercícios de 2008 a 2016. A determinação visa o cumprimento de exigência constitucional que tem por objetivo informar à Justiça Eleitoral a relação de gestores que tiveram “contas rejeitadas por irregularidades insanáveis ou atos dolosos de improbidade administrativa”, e que, por esta razão, se enquadram na Lei de Ficha Limpa – e são, a princípio, inelegíveis.

Adverte o presidente que, em caso de descumprimento desta determinação, o TCM irá relacionar e informar ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-Ba) os nomes de todos os gestores municipais que tiveram contas rejeitadas pela corte entre os anos de 2008 e 2016. Isto porque, sem os decretos legislativos e as atas de julgamento das contas por parte das câmaras municipais, não será possível ao TCM atestar se houve ratificação ou não, pelo poder legislativo municipal, do parecer prévio aprovado pelos conselheiros do tribunal.

De acordo com o edital, “os documentos do respectivo expediente devem ser apresentados, exclusivamente, em meio eletrônico (pen-drive, CD-ROM ou e-mail), em formato de arquivo “PDF”, que faculte acesso a pesquisas e cópias ( PDF pesquisável )”. E informa que, para ter conhecimento dos municípios que ainda não encaminharam as respectivas informações, “basta o interessado acessar o link “http://www.tcm.ba.gov.br/contas-enviadas/” e refinar a pesquisa na coluna “Apreciação pela Câmara”.

O edital publicado pelo TCM atende solicitação que foi encaminhada pelo presidente do TRE, desembargador José Rocha Rotondano, pelo desembargador Edmilson Jatahy Fonseca, corregedor da corte eleitoral e pelo procurador regional eleitoral, Cláudio Alberto Cunha. No ofício, eles solicitam que sejam informadas, por intermédio da ferramenta digital “SisContaEleitoral”, num prazo de 60 dias, as ocorrências que ensejam as referidas inelegibilidades, no âmbito da instituição, assim relacionados:

“Agentes públicos que tiveram suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável e por decisão irrecorrível do órgão competente, desde o ano de 2008 (art.1º. inciso1, alínea “g”, da LC nº64/90 e art. 11.§ 5º da Lei 9.504/97). E servidores públicos vinculados a essa instituição que foram demitidos do serviço público em decorrência de processo administrativo ou judicial, desde o ano de 2008 (art.1º, inciso !, alínea”o”, da LC nº64/90)”.


Por meio de nota enviada para imprensa, a Defensoria Pública do Estado da Bahia se manifestou “veemente repúdio à atuação do Shopping da Bahia”, que através de um dos seus seguranças, “violou gravemente os mais básicos direitos de uma criança, supostamente em situação de rua, ao tentar impedi-la de permanecer na praça de alimentação” do estabelecimento, na segunda-feira (11), enquanto aguardava por uma refeição que lhe foi oferecida.

“O caso evidencia flagrante violação a diversos direitos do infante, uma vez que o expôs a situação vexatória e humilhante, diante de um público imenso, sem nenhuma justificativa plausível. Cumpre salientar que um estabelecimento aberto ao público não pode discriminar as pessoas que nele circulam, devendo tratar a todos com dignidade e respeito, especialmente sendo uma criança, a quem a Constituição Federal Brasileira ordenou prioridade absoluta na proteção e garantia dos seus direitos”, diz trecho da nota.

Ainda de acordo com o órgão, condutas dessa espécie devem ser duramente rechaçadas para que outros estabelecimentos não venham a repetir o mesmo tratamento com outras crianças e adolescentes. A Defensoria Pública reafirma o seu compromisso institucional de defesa da Criança e do Adolescente, utilizando-se de todas as suas prerrogativas legais para lhes garantir os direitos e acolher as demandas de suas famílias.

Ainda segundo a nota, a Defensoria informa que presta “solidariedade e oferecemos apoio jurídico, no que for de atribuição desta Instituição, a todos os clientes que se solidarizaram com a situação da criança, bem como nos colocamos à disposição para dialogar com o Shopping da Bahia, inclusive para realizar atividades de capacitação e educação em Direitos Humanos e Cidadania para os seus funcionários”.