De Uibaí (BA) para o mundo, mais precisamente, para os Estados Unidos. Esse é o novo endereço de Simone e Simaria. Segundo informações da coluna “Terraço Paulistano”, da revista “Veja São Paulo”, as baianas compraram uma mansão no condomínio Reunion, em Orlando.
De acordo com a publicação, o imóvel está avaliado em 660 mil dólares, o equivalente a R$ 2,1 milhões. As cantoras serão vizinhas de Larissa Manoela, dona de uma mansão avaliada em R$ 2,7 milhões no condomínio Champions Gate, vizinho ao conjunto de casas escolhido por elas.

Um adolescente de 17 anos atirou no próprio tio ao descobrir que as galinhas da vítima comeram os pés de maconha que ele havia plantado no quintal de casa em Conceição da Barra, norte do Espírito Santo. O tio, que foi levado ao hospital, prestou queixa na Polícia Militar na tarde de quinta-feira (10).
O homem disse que ficou confuso quando o menor entrou em sua casa ao berros e quebrando os móveis da casa. O tio se disse surpreso com a informação e discutiu com o menor que, após tomar uma arma de fogo das mãos do padrasto, disparou.
A bala atingiu o antebraço esquerdo do tio, que precisou ser levado para o hospital. De acordo com a PM, o homem passa bem e já foi levado para casa.  Os policiais fizeram uma varredura pelo quintal para tentar descobrir outros pés da droga.
Já o garoto foi encontrado em casa e, em seguida, levado para interrogatório na cidade vizinha de Linhares. “Ele deve ser internado na Fundação Casa”, informou a PM, que entregou a investigação para a Polícia Civil.

O presidente Michel Temer sancionou, com vetos, a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) para 2018. A LDO estabelece as metas e prioridades do governo para o ano seguinte e orienta a elaboração da lei orçamentária anual. O texto sancionado está publicado na edição desta quarta-feira (9) do Diário Oficial da União. As informações são da Agência Brasil.

Uma das definições foi o aumento de 4,5% no salário mínimo, dos R$ 937 deste ano para R$ 979 em 2018. Na mensagem presidencial enviado ao Senado, o governo justifica que vetou alguns pontos por “contrariedade ao interesse público e inconstitucionalidade”.

Um dos vetos foi ao item que registrava que o Executivo adotaria providências e medidas, inclusive com o envio de proposições ao Legislativo, com o objetivo de reduzir o montante de incentivos e benefícios de natureza tributária, financeira, creditícia ou patrimonial. A justificativa ao veto é que “o dispositivo poderia tornar ilegal medidas de caráter concessivo que se apresentem prementes ao longo do exercício.”

Outro ponto vetado é o que previa que projetos de lei e medidas provisórias relacionadas ao aumento de gastos com pessoal e encargos sociais não poderiam ser usados para conceder reajustes salariais posteriores ao término do mandato presidencial em curso.

O governo argumentou que “a limitação prejudica a negociação das estruturas salariais com os servidores dos três poderes, impondo um marco final curto para a concessão de reajustes salariais”. O texto lembra que muitas vezes reajustes são concedidos de forma parcelada em mais de um exercício fiscal.

ENTENDA A LDO

A LDO define as metas e prioridades do governo para o ano seguinte, orienta a elaboração da lei orçamentária anual e fixa limites para os orçamentos dos poderes Legislativo e Judiciário e do Ministério Público.

O texto sancionado mantém a meta fiscal proposta pelo governo e prevê, para 2018, um déficit primário de R$ 131,3 bilhões para o conjunto do setor público consolidado (que engloba o governo federal, os estados, municípios e as empresas estatais), sendo R$ 129 bilhões para os orçamentos Fiscal e da Seguridade Social da União e R$ 3,5 bilhões para o Programa de Dispêndios Globais.

A LDO estipula o aumento do salário mínimo de R$ 937 para R$ 979. Também projeta um crescimento real da economia brasileira de 2,5%, taxa básica de juros (Selic) em 9%, o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) de 4,5% no ano e o dólar a R$ 3,40 no fim de 2018.

Esta será a primeira LDO a entrar em vigor após aprovação do teto de gastos públicos, que atrela os gastos à inflação do ano anterior, por um período de 20 anos.


Governo anunciou aumento de impostos sobre o combustível; especialistas citam alternativas como cortar outros gastos ou repensar a necessidade do carro.

A analista de suporte Juliana Garcia Calado, de 32 anos, se assustou quando fez as contas e descobriu quanto deve gastar a mais para abastecer o carro após o aumento dos impostos dos combustíveis: R$ 17 por semana. “Nossa, tudo isso?! Não esperava que fosse tanto. Estava feliz porque recentemente tinha baixado quase R$ 0,10 o litro…”

Assim como Juliana, muitos brasileiros vão sentir os efeitos do aumento do preço dos combustíveis. Desde sexta-feira (21), o governo cobra R$ 0,41 por litro a mais de PIS e Cofins sobre a gasolina. Após o anúncio, filas de carros foram formadas em postos de combustíveis, com motoristas buscando garantir o tanque cheio antes de o aumento chegar nas bombas.

Mas correr para o posto não é solução, pois os consumidores devem agora avaliar como fica o orçamento com esse custo extra. Essa é a recomendação do educador Financeiro Reinaldo Domingos, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), e de André Bona, do Blog de Valor. Para eles, o importante é encontrar saídas para compensar o impacto que esse aumento trará para o orçamento da família.

Corte de gastos

Uma das opções pode ser até reavaliar se o uso do carro realmente compensa na comparação com o transporte público, táxi ou Uber, por exemplo. No entanto, Bona diz que é preciso cuidado para não acabar sacrificando a rotina em nome de uma economia pequena. Segundo ele, às vezes, é melhor buscar compensar a despesa extra com corte em outros gastos.

É exatamente isso que Juliana pretende fazer. Ela mora a em Cotia (SP), a 42 quilômetros de seu local de trabalho, no centro da capital paulista. “Eu gasto uma hora de carro. De ônibus, gastaria de 2 horas a 2 horas e meia. Teria uma redução de custo, mas eu teria que sacrificar minha qualidade de vida”, pondera.

“Uma dica que eu dou é que as pessoas tentem cortar os supérfluos de cima para baixo, do mais caro para o mais barato. Se a pessoa corta um gasto com filmes que custa R$ 20 por mês, pois exemplo, a família perdeu o lazer e, nas contas, vai ter pouco impacto. Ao passo que, se a pessoa consegue economizar 10% dos gastos no supermercado, no mês o resultado vai ser maior”, diz Bona.

Domingos também aconselha que o aumento seja compensado com cortes em outras despesas.

“É possível diminuir o impacto do aumento cortando por exemplo aqueles R$ 2, R$ 3 que se gastava com algo que não se precisava tanto, como aquele cafezinho no meio do dia. Esses pequenos ajustes compensam os R$ 0,41 as mais no litro da gasolina”, diz Domingos.

O carro é mesmo essencial para você?

Embora não seja o caso de Juliana, Domingos lembra que a substituição do carro por outro meio de transporte ainda pode ser uma boa alternativa para alguns consumidores. O especialista afirma que cada pessoa precisa questionar suas prioridades em relação ao que se gasta.

Para o Domingos, o reajuste dos combustíveis pode ser uma boa hora para mudar os hábitos. “Tem o transporte público, precisa mesmo usar carro? Não seria mais econômico usar os aplicativos de táxi?”, questiona.

Outros preços também podem aumentar

Tráfego de caminhões na Rodovia Deputado Cunha Bueno, na região de Ribeirão Preto (Foto: Maurício Glauco/EPTV)

Tráfego de caminhões na Rodovia Deputado Cunha Bueno, na região de Ribeirão Preto (Foto: Maurício Glauco/EPTV)

Ainda que o aumento de impostos atinja diretamente apenas os combustíveis, outros preços podem acabar subindo, como em uma reação em cadeia. Isso porque os custos de produção e transporte de vários produtos aumentampara as empresas, que ficam com duas opções: reduzir sua margem de lucro ou repassar o gasto extra ao consumidor.

Embora o Brasil viva um período de inflação em baixa, os educadores financeiros lembram que os consumidores devem estar preparados para um aumento de preços em produtos.

“Não se trata de um aumento isolado na gasolina, pois o consumo em geral será afetado, como alimentação, vestuário, lazer”, diz Domingos.

Já Bona comenta que o momento pode ser visto pelo consumidor como uma “oportunidade de melhorar seu perfil de gastos, para racionalizá-los de uma maneira mais inteligente”.

Apesar da pressão maior sobre o orçamento, os especialistas ressaltam a importância de manter o hábito de poupar, envolvendo toda a família no processo e estabelecendo metas. “É preciso fazer a lição de casa em relação ao que se está gastando”, diz Domingos.

Especialistas recomendam controlar os gastos como um todo para compensar aumento de impostos (Foto: Pâmela Fernandes/G1)

Especialistas recomendam controlar os gastos como um todo para compensar aumento de impostos (Foto: Pâmela Fernandes/G1)


O governo federal decidiu dobrar a alíquota do PIS e Cofins que incide sobre os combustíveis, passando de R$ 0,38 por litro para R$ 0,79 por litro. Com isso, o valor do litro do combustível nas bombas pode ficar até R$ 0,41 mais caro. O reajuste foi anunciado nesta quinta-feira (20) pelos ministério da Fazenda e do Planejamento por meio de nota. O novo preço do imposto passa a valer a partir desta sexta (21), com a publicação no Diário Oficial da União. No caso do biodiesel, a alíquota vai subir de R$ 0,24 para R$ 0,46. Dessa forma, o combustível pode ficar até R$ 0,21 mais caro. Já o PIS e Cofins do etanol, até então zerado, vai passar a custar R$ 0,19 para os distribuidores.

magem foi feita por professora que esperava na fila da agência da Caixa Econômica, em Volta Redonda, RJ; imagem ultrapassa 6 mil compartilhamentos na internet.

Postagem de professora mostrando bom exemplo de gerente bancário viralizou (Foto: Reprodução/Facebook)

Uma cena que ocorreu na última quarta-feira (12) chamou a atenção de quem esperava na fila de uma agência da Caixa Econômica Federal, em Volta Redonda, RJ. O gerente de relacionamento levantou de sua mesa, foi até o saguão de autoatendimento e sentou no chão para prestar atendimento a um cliente, portador de deficiência física.

A professora Maria Isabel de Paiva, de 54 anos, que aguardava na fila, registrou o momento em uma foto e fez uma postagem no Facebook. Às 18h33 desta terça-feira (18), o conteúdo já havia sido compartilhado mais de 6 mil vezes e recebido mais de 24 mil curtidas.

“Não tinha o hábito de ir à aquela agência, fui por acaso naquele dia. Vi o senhor portador de deficiência, a princípio sem ser notado, aguardando a vez. De repente surgiu o gerente e o atendeu dessa maneira, sentando no chão, olhando nos olhos. Achei interessante a prontidão dele, a boa vontade. Que esse gesto sirva de exemplo”, disse.

Procurada pelo G1, a assessoria da Caixa informou que Luís Cláudio de Souza Lima trabalha há cinco anos na agência situada na Avenida Amaral Peixoto, no Centro de Volta Redonda. O G1 também tentou ouvi-lo, mas ele não havia retornado as ligações até a última atualização desta reportagem.

(g1)


 

Sabe aqueles grupos de Whatsapp onde as pessoas costumam postar mensagens sobre onde estão ocorrendo blitz e abordagens da Polícia Rodoviária, Militar ou DETRAN? O administrador de um destes grupos foi apreendido na manhã da última segunda-feira (10) em Paranatama, agreste pernambucano.

Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) viajaram ao município e cumpriram o mandado de busca e apreensão contra o homem suspeito de ser o administrador do grupo. O mandado foi expedido pela Justiça Federal a pedido do Ministério Público Federal a partir de investigações da própria polícia.

A divulgação do local onde estão ocorrendo blitz, além de ser crime, atrapalha ações desenvolvidas por agentes do trânsito. Outros grupos do interior de Pernambuco estão sendo investigados, os membros e administradores podem responder por associação criminosa.


O músico Zeca Pagodinho sofreu um acidente, na noite desta sexta-feira, em Xerém, distrito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Segundo a assessoria do cantor, o quadriciclo guiado por Zeca tombou enquanto ele tentava fazer um retorno próximo a uma praça, depois que ele perdeu a direção do automóvel, por volta das 22h. Policiais militares do 15º BPM (Duque de Caxias) chegaram a se dirigir ao local do ocorrido.

Consciente, o artista aguardou a chegada da ambulância do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) e foi levado para o hospital particular Caxias D’Or, na mesma cidade. Na unidade, ainda de acordo com a equipe do cantor, ele passou por exames de rotina e seu estado de saúde é estável.

A assessoria de Zeca informa ainda que o artista encontra-se, nesse instante, em repouso no setor de emergência, onde deve permanecer em observação até sábado. Já a Rede D’Or não divulgou nenhum boletim médico até o momento.

Há mais de duas décadas, o artista é dono de um sítio em Xerém, onde costuma receber amigos e realizar rodas de samba, que já serviram até para a gravação de CDs e DVDs. Em 2013, quando a região foi atingida por fortes temporais, ele chamou a atenção ao percorrer ruas do distrito em seu quadriciclo, prestando auxílio às vítimas. Fonte: Extra