A Petrobras elevará os preços da gasolina em 1,29%, a R$ 1,9420 o litro, nas refinarias a partir de quarta-feira, anunciou a estatal nesta terça (14) em comunicado em seu site.

Os preços do diesel serão mantidos a R$ 2,0316 o litro.


A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (10) um projeto que isenta pessoas de baixa renda do pagamento de conta de luz. Para ter acesso ao benefício, a família deve ter renda mensal menor ou igual a meio salário mínimo e o consumo de energia deve ser de até 70 kwh/mês.
Um levantamento do Ministério de Minas e Energia aponta que 8,9 millhões de famílias devem ser beneficiadas.

Mas Atualmente apenas indígenas e quilombolas de baixa renda têm acesso à isenção. Outras famílias têm direito a descontos de acordo com o consumo. Com 30kwh/mês, a redução é de 65%. Já com 220kwh/mês, a redução fica em 10%.
O artigo que cria a isenção foi incluído no projeto de lei que autoriza a venda de seis distribuidoras de energia controladas pela Eletrobras. A proposta ainda precisa passar pelo Senado e pela sanção presidencial para passar a valer


O preço da gasolina nas refinarias sofrerá redução de 0,53%. A decisão foi divulgada nesta quarta-feira (20) pela Petrobras. O litro passará a ser de R$ 1,8941. O novo valor começa a valer a partir desta quinta (21).

A estatal já realizou 9 reduções e 2 aumentos no custo durante o mês de junho. A variação ocorre por conta da nova política de preços da empresa, adotada desde julho do ano passado. O combustível pode sofrer reajuste e reduções diárias.

A grande preocupação dos consumidores é que as reduções apresentadas pela Petrobras não estão chegando nas bombas.


Queda é a oitava anunciada no mês; última redução tinha sido de 0,89%.

Petrobras anunciou nesta segunda-feira (18) nova redução no preço da gasolina nas refinarias. O valor do litro passará de R$ 1,9178 para 1,8941 na terça-feira (19), queda de 1,23%.

Na sexta-feira, a petroleira já tinha reduzido o preço em 0,89% que começou a valer no sábado. No mês de junho já foram anunciadas 8 quedas e 2 altas no preço da gasolina.

Em 30 dias, a queda acumulada é de 8,4%. Desde o dia 8 de fevereiro, quando a Petrobras começou a divulgar os preços de referência nas refinarias, o avanço é de 20,39%.

Já o preço do diesel segue congelado em R$ 2,0316, conforme ficou estabelecido pelo programa de subvenção ao combustível anunciado pelo governo, que prevê redução de R$ 0,46 no preço do diesel por 60 dias.

Tabela de reajuste de preços da Petrobras (Foto: Reprodução/Petrobras)Tabela de reajuste de preços da Petrobras (Foto: Reprodução/Petrobras)

Tabela de reajuste de preços da Petrobras (Foto: Reprodução/Petrobras)

Política de preços

A Petrobras adota novo formato na política de ajuste de preços desde 3 de julho do ano passado. Pela nova metodologia, os reajustes acontecem com maior periodicidade, inclusive diariamente, refletindo as variações do petróleo e derivados no mercado internacional, e também do dólar.

O repasse dos preços cobrados nas refinarias para as bombas depende das distribuidoras e dos donos dos postos.

Levantamento semanal divulgado pela Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP) mostra que o preço médio do diesel recuou 5 centavos nos postos na última semana, para R$ 3,434. A gasolina, por sua vez, registrou média nos postos de R$ 4,572, queda de 3 centavos sobre a semana anterior, quando foi vendida por R$ 4,603 reais por litro.


O presidente da Petrobras, Pedro Parente, comunicou ao presidente Michel Temer (MDB) a sua demissão do cargo da empresa. O fato foi noticiado pelo Infomoney.

Enquanto as ações da Petrobras caem 12%, as da Brasil Foods sobem 5%. Poderia ser apenas uma movimentação normal do mercado financeiro, mas a dinâmica acendeu novos olhares, que acreditam que o panorama pode ser resultado de uma iminente saída do presidente da Petrobras, Pedro Parente, para a Brasil Foods. Como evidências, além de ser presidente do conselho da empresa, Parente fez uma jogada na Petrobras que havia afirmado que não faria: após pressões do governo, fixou o valor do combustível durante 15 dias e reduziu em 10% o valor do diesel nas refinarias. Ou seja, a política de não interferência do governo na empresa, teria sido descumprida pelo presidente Michel Temer, o que poderia provocar a troca da presidência da Petrobras pela da Brasil Foods.


Em meio à greve nacional dos caminhoneiros, que comprometeu o abastecimento de combustíveis em todo o país, empresários tentaram maximizar os lucros à custa da população em Brasília, na noite desta quarta-feira (23).

Postos de Águas Claras e Planaltina reajustaram o preço da gasolina. Conforme publicação do site Metrópoles, o valor saltou para exorbitantes R$ 9,99 por litro. A medida irritou os motoristas que passavam pelo Posto JR, na Quadra 301 de Águas Claras. Pouco antes de 0h30, o posto foi fechado, com as bombas registrando R$ 5,99. Em Planaltina, a redução foi menor e o estabelecimento “baixou” para R$ 8,99.

Na quarta-feira (23), a Justiça proibiu o bloqueio de caminhoneiros na distribuidora da Petrobras no SIA. A Polícia Militar negociou a saída de 16 caminhões com combustíveis, mas 20 minutos depois, a escolta foi cancelada. Manifestantes disseram que os motoristas que estavam na distribuidora não quiseram sair.


A Petrobras reduzirá os preços de diesel e gasolina nas refinarias a partir de quarta-feira, comunicou a estatal nesta terça-feira (22/05), em meio a discussões dentro do governo sobre a alta dos preços dos combustíveis e protestos de caminhoneiros.

A Petrobras reduzirá os preços da gasolina em 2,08% e os do diesel em 1,54% nas refinarias a partir desta quarta-feira (23), em meio a discussões dentro do governo sobre a alta dos preços dos combustíveis e protestos de caminhoneiros.

Segundo informou a petroleira, o preço da gasolina nas refinarias cairá de R$ 2,0867 o litro para R$ 2,0433 a partir desta quarta. Já o preço do diesel será reduzido de R$ 2,3716 para R$ 2,3351.

O presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, disse que houve protestos de caminhoneiros em 17 estados e no Distrito Federal contra a alta do preço do óleo diesel nesta segunda-feira. Segundo ele, a paralisação terá continuidade nos próximos dias até que o governo apresente uma solução contra o aumento “abusivo” do combustível. Os protestos mobilizaram cerca de 200 mil caminhoneiros em todo o país. Houve dia e hora para começar, mas não tem data para terminar – disse Lopes.

Segundo ele, a orientação da entidade, que reúne 60 sindicatos da categoria e sete federações (aproximadamente 600 mil profissionais), é para que os caminhoneiros cruzem os braços e permaneçam em suas casas. Se forem para estrada, não prejudicar a passagem de caminhões carregados de gêneros perecíveis e cargas vivas. Já no caso de combustível, a ordem é não abastecer os tanques, como está acontecendo na refinaria da Petrobras, disse.


A Petrobras elevará os preços do diesel em 0,97% e os da gasolina em 0,9% nas refinarias a partir desta terça-feira (22), informou a petroleira no seu site nesta segunda-feira (21).

Com os reajustes, os preços dos combustíveis irão a novas máximas dentro da política em vigor desde julho, a R$ 2,3716 o litro de diesel e R$ 2,0867 o litro de gasolina.

A escalada nos preços acontece em meio à disparada nos preços internacionais do petróleo, que chegou a bater as cotações máximas desde 2014, além da tendência de alta do dólar sobre várias moedas, incluindo o real.

Nesta segunda, caminhoneiros fazem protestos pelo país contra o aumento no valor do diesel.

Evolução dos preços cobrados pela Petrobras nas refinarias nos últimos dias (Foto: Divulgação) (Foto: Divulgação)Evolução dos preços cobrados pela Petrobras nas refinarias nos últimos dias (Foto: Divulgação) (Foto: Divulgação)

Evolução dos preços cobrados pela Petrobras nas refinarias nos últimos dias (Foto: Divulgação) (Foto: Divulgação)

O que diz a Petrobras

A Petrobras adota novo formato na política de ajuste de preços desde 3 de julho do ano passado. Pela nova metodologia, os reajustes acontecem com maior frequência, inclusive diariamente. Na semana passada, foram 5 reajustes diários seguidos. No acumulado somente na semana passada, a alta chegou a 6,98% nos preços da gasolina e de 5,98% no diesel. Desde julho de 2017, o preço da gasolina comercializada nas refinarias acumula alta de 58,76% e o do diesel, valorização de 59,32%, segundo o Valor Online.