Tráfego de veículos tem mudança temporária na região do Pontal até conclusão de obras

O fluxo do trânsito no Pontal foi modificado na região do Aeroporto Jorge Amado devido às obras da nova ponte que ligará o bairro ao Centro. As alterações impactam quem trafega no sentido Avenida Lomanto Júnior – BA-001 (Olivença) ou no sentido contrário, como informa a Superintendência de Transporte, Trânsito e Mobilidade (Sutram) de Ilhéus. A mudança é temporária e se deve às obras de implantação de dutos de drenagem no eixo sul da nova ponte.

Os condutores que transitam na Avenida Lomanto Júnior sentido zona Sul, ao invés de acessarem a rua Treze de Maio, no Pontal, passarão direto e entrarão no final da via, à direita, sentido pista nova, com saída próxima à cabeceira do aeroporto. Já quem trafega pela cabeceira do aeroporto Jorge Amado sentido Pontal e centro, ao invés de acessarem a rua Treze de Maio, seguirão pelo novo viário, à margem do mar.

As obras ocorrem na cabeceira do aeroporto e na Rua 13 de Maio, interditada até a conclusão deste etapa da obra. Os veículos trafegarão pelo novo eixo viário, nos dois sentidos, durante o período de intervenção, conforme a Sutram. O órgão orienta que os condutores obedeçam às recomendações.

NOVA PONTE

A nova ponte que ligará o centro e a zona sul de Ilhéus está em fase de conclusão. Executada pelo governo baiano, com financiamento do BNDES e Banco do Brasil, a obra deverá ser inaugurada ainda neste primeiro semestre, ao custo aproximado de R$ 98 milhões. Para ter impacto positivo no trânsito na região central e zona sul, ainda haverá duplicação de 2,7 quilômetros de trecho da BA-001 até a entrada do Ceplus. Pimenta


Uma máquina que era erguida para dentro de um navio no Porto de Ilhéus, no sul da Bahia, caiu do alto, no porão da embarcação, na manhã desta quinta-feira (16). Ninguém ficou ferido.

Através das imagens feitas por uma testemunha, é possível ver quando a máquina é içada por um guindaste quando, de repente, as amarras que seguravam o equipamento se soltam e a máquina cai.

O equipamento ficou destruída. Ele estava sendo levado para o porão do navio seria usada para organizar uma carga de eucalipto.

De acordo com a gerência do Porto de Ilhéus, a Codeba não tem responsabilidade pelo caso e a responsável é a empresa operadora da carga, a Intermarítima.

Já a direção da Intermarítima informou que um encaixe do guidantes quebrou, fazendo com que máquina caísse. Ressaltou ainda que não tinha ninguém no porão do navio no momento da queda e que só houve danos materiais. G1


Os funcionários do Makro da Rodovia Ilhéus-Itabuna, foram pegos de surpresa, nesta manhã de quarta-feira (15), ao chegar para trabalhar. Logo no portão da loja, um aviso de que a empresa havia encerrado as atividades na loja sul-baiana.

O Makro inaugurou a loja ilheense em 2010, com cerca de 150 funcionários. A empresa informou aos funcionários que haveria, para quem desejar, a opção de transferência para lojas em Minas Gerais.

No mercado, a informação é de que a estrutura na Rodovia Ilhéus-Itabuna pode ser adquirida por um grupo mineiro que já trabalha no sistema atacarejo, o Mineirão Atacarejo, que já atua no extremo-sul do Estado. Desde o ano passado, o Makro está no alvo do Carrefour, dono do Atacadão, para compra em negócio estimado em R$ 5 bilhões. Pimenta.


O turista de Minas Gerais, que está com manchas no corpo desde que tomou banho de mar em uma praia de Ilhéus, na Bahia, recebeu alta no final da tarde de segunda-feira (11). Anderson Gabriel Miranda, de 38 anos, estava internado no Hospital Regional Costa do Cacau desde o dia 4 de novembro, após sentir mal-estar com vômitos e náuseas.

Apesar da alta, o laudo com as causas das manchas e do mal-estar é inconclusivo. No relatório de alta, no item “suspeita diagnóstico”, a situação do paciente é relatada com uma interrogação e está escrito: “Dermatite alérgica de contato devida a outros produtos químicos?”.

Ainda com as manchas pelo corpo, Gabriel conta que vai voltar para Minas Gerais até quarta-feira (13) e, em seguida, procurar tratamento para as manchas “Eu não sinto mais náuseas, nem nada, só minha pressão que ainda tem picos. Hoje eu fui na farmácia depois do almoço e minha pressão estava 17/10. Eu nunca tive problema de pressão, apresentei esse problema agora. Minha pele ainda está bem vermelha e sinto coceira”, contou.

Anderson, que é empresário e veio para a Bahia em período de férias, disse que a situação não o traumatizou e que ele tem muito carinho pelo Nordeste.

“Há uns quatro anos meu tio comprou esse apartamento aqui [em Ilhéus] e desde então a gente sempre vem pra cá. Na segunda-feira, quando fui para o hospital, meu plano era ir para Morro de São Paulo, depois Maceió e seguir para Fortaleza, mas não aconteceu. Eu vou continuar vindo aqui”, disse. G1.


O empresário Anderson Gabriel Palmela, 38 anos, deu entrada no Pronto Atendimento da Zona Sul de Ilhéus, na tarde deste sábado (2), com queimaduras no corpo após tomar banho de mar na Praia dos Milionários, também localizada na Zona Sul. Segundo o enfermeiro coordenador da Vigilância de Saúde Ambiental, Gleidson Souza Santana, o paciente relatou que sentiu o incômodo ainda no mar, “que estava limpo”.

Depois de ir para casa e tomar banho, o rapaz percebeu que os sintomas pioraram.  “Meu corpo começou a coçar e queimar muito no mar. Quando cheguei em casa, no banho, a água ficou escura no chão e oleosa, mas na praia eu não vi óleo. À noite, quando voltei com o secretário de saúde pra mostrar onde estava tomando banho, vimos fragmento de óleo na areia”, relatou Anderson, ao CORREIO.

 

O empresário Anderson Gabriel Palmela, 38 anos, deu entrada no Pronto Atendimento da Zona Sul de Ilhéus na tarde deste sábado (2)
(Foto: Divulgação)

O empresário mineiro, que está visitando o tio em Ilhéus, deu entrada no Pronto Atendimento por volta do meio-dia de sábado (2), com o corpo marcado por manchas e bolhas. Ainda sem previsão de voltar para casa, Anderson só deseja ficar bom. “Quero saber como melhorar isso. Só sei que meu corpo está queimando muito, moça”, resume o empresário, que ainda se recupera na casa do tio.

Apesar das investigações, o coordenador da Vigilância de Saúde afirmou que não há como relacionar o caso com a presença de óleo nas praias do Nordeste. “A partir da notificação do caso dele, que foi isolado, a Vigilância investiga e alimenta o sistema. Além disso, liga para o Centro de Toxicologia para informar sobre o caso e faz o monitoramento do paciente pelo menos uma vez por dia”, explica Santana.

Segundo o enfermeiro, será feita uma nova bateria de exames, como de sangue e urina, para saber a causa das manchas e queimaduras. Enquanto as investigações não identificam a origem do problema, a orientação que a Vigilância dá para a população é “evitar o contato com o óleo, porque existem sintomas pelo contato dermatológico, por inalação e ingestão”, explica.

É por esse motivo que a utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) é recomendada. “Tem que ter a máscara filtrante, a luva (se for longa, melhor ainda), o macacão (que protege os braços e as pernas) e a bota emborrachada até em cima, para não ter contato com a perna. Só o calçado só não adianta”, alerta Santana. “Essa é nossa maior preocupação”, reforça, sobre o grupo de voluntários “que está sendo relevante mesmo”.

Desde a chegada do óleo em Ilhéus, na sexta-feira (25), outro caso foi registrado. Uma voluntária deu entrada com reações inalatórias, náusea, dor de cabeça e dor de estômago, na segunda-feira (28), foi medicada e recebeu alta. Assim como o paciente deste sábado, a vigilância segue monitorando a voluntária todos os dias.

“Até agora a gente não sabe ao certo quais são os sintomas. O Estado da Bahia não trabalha com petróleo, então a gente não tem equipe especializada nessa área. Seria o caso de alguém da Petrobras informar a gente como conduzir a situação. Por enquanto, estamos seguindo as orientações da Sesab e do Ministério da Saúde”, afirma Santana. A Marinha e o Corpo de Bombeiros também estão dando apoio, junto com a prefeitura municipal de Ilhéus.


Uma mulher e uma criança, de apenas 9 meses de idade, morreram na tarde desta quarta-feira (11), após serem atropeladas por uma caçamba, na Avenida Itabuna, em Ilhéus, próximo à Dires. As vítimas – tia-avó e sobrinha – tiveram partes de seus corpos esmagados. A cena dos corpos da professora Solange Santana, e da pequena Helena, de apenas 9 meses, chocou quem passou pelo local. A criança estava presa ao carrinho. O Samu ainda foi acionado, mas não havia mais o que fazer. O motorista responsável pelo acidente presta depoimento na delegacia, nesse momento.

Segundo informações, a mulher se trata da Tia Avó da criança e tinha aproximadamente 60 anos de idade, a criança se chama Helena e tinha menos de 9 meses de vida


Uma operação para reprimir crimes contra a administração pública, fraudes em licitações e contratos e lavagem de dinheiro, praticados entre os anos de 2011 e 2018 no âmbito da Câmara de Vereadores de Ilhéus, foi deflagrada na manhã de hoje, dia 15, pelo Ministério Público estadual, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco) e da 8ª Promotoria de Justiça de Ilhéus, em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Foram cumpridos sete mandados de prisão e dez de busca e apreensão, expedidos pela 1ª Vara Criminal de Ilhéus, além de afastados um vereador e sete servidores da Câmara Municipal.

Dentre os presos estão agentes públicos e empresários envolvidos em organizações criminosas instaladas na Câmara de Vereadores de Ilhéus, município do sul da Bahia, e responsáveis por operacionalizar múltiplos esquemas de corrupção ao longo de sucessivas gestões na Casa Legislativa. Denominada Operação Xavier, a ação resulta da continuidade de investigações de esquemas fraudulentos identificados pela Operação Citrus, que revelou esquemas de corrupção praticados por agentes públicos com o apoio de empresas de assessoria contábil e de licitações, contratadas para maquiar documentalmente a prática dos diversos ilícitos apurados.

A operação se desenvolveu com o efetivo operacional da PRF, que reforça o estado baiano na Operação Lábaro 2019, para potencializar o enfrentamento qualificado ao crime organizado, atuando nas divisas dos estados e nas regiões e corredores estratégicos, em consonância com conhecimentos de inteligência policial e de análise criminal.

Além da PRF, a ação contou com o apoio da Coordenadoria de Segurança Institucional e Investigação (CSI) e do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Proteção à Moralidade Administrativa (Caopam) e de promotores de Justiça da Bahia, que atuaram no cumprimento dos mandados.

Durante dois anos, as investigações contaram com a colaboração da Coordenação de Computação Forense do Departamento de Perícia Técnica do Estado da Bahia, da Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, da Receita Federal em Itabuna e Ilhéus, do Banco do Brasil, do Tribunal de Contas dos Municípios, da Central de Apoio Técnico do MP, da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), da JUCEB e de outros órgãos.

Foram apreendidos diversos documentos e objetos, como celulares e computadores. As pessoas foram ouvidas pelo Ministério Público e encaminhadas pela PRF à Delegacia Judiciária local.


O pastor Carlson Benjamin dos Santos, da Igreja Batista Betesda de Ilhéus, está desparecido desde a última quarta-feira (13). Carlon saiu pela manhã para pedalar, em seguida iria buscar sua filha na escola, porém, não foi o que aconteceu.

Desde então o Pastor Carlson está desaparecido e não se tem notícias dele, nem da bicicleta e nem do carro o qual transportava a bicicleta. Telefone só cai na caixa postal.

O Pastor Carlison Benjamin dos Santos é Irmão da esposa do também pastor, Paulino Peixoto, Edna Peixoto, moradores da cidade de Potiraguá.


Um tubarão foi encontrado morto na praia de São Miguel, na cidade de Ilhéus, no sul da Bahia, na manhã desta terça-feira (16). Banhistas que passaram pelo local fotografaram o animal.

De acordo com informações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a suspeita é de que o tubarão tenha morrido no mar e o corpo tenha encalhado na areia. No entanto, não se sabe as causas da morte.

A espécie do tubarão e o tamanho dele não foram definidos pelo Ibama. Conforme o instituto, a remoção do animal da praia deve ser feita pela Prefeitura de Ilhéus. O G1 entrou em contato com a gestão do município, que ficou de se posicionar sobre o assunto.

Suspeita é de que animal tenha morrido no mar e encalhou na areia (Foto: Arquivo Pessoal)

Curiosos se aproximaram para fotografar o tubarão (Foto: Arquivo Pessoal)

(G1)