Uma câmera de segurança flagrou o momento em que um carro, em alta velocidade, atropela dois homens em uma Avenida da Zona Oeste de Manaus. O carro, quando surge nas imagens, arrasta um motociclista pela roda do carro e ”carrega” outro no capô. Segundo a polícia, a dupla praticava roubos na região. O motorista do carro foi a vítima do assalto.

De acordo com o boletim de ocorrência do caso, registrado no fim de novembro, o motorista informou que havia sido roubado momentos antes de perseguir e atropelar os assaltantes. Ele afirma que os suspeitos levaram uma mochila e seu celular – depois recuperados pela polícia. G1


Morreu na madrugada desta quinta-feira Diego de Farias Pinto, conhecido como Bunitinho, fenômeno nas redes sociais que protagonizava memes compartilhados por internautas. Diego “Buiu”, como também era conhecido, foi baleado na Rua Catugi, na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio, após um baile funk realizado no morro do Dendê. Ele foi socorrido no Hospital municipal Evandro Freire, mas não resistiu aos ferimentos.

Houve uma operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar no local. Outras três pessoas morreram. Uma das vítimas seria um dos empresários da webcelebridade, identificado como Jorge Tadeu. Em nota, a Polícia Civil informou que a Delegacia de Homicídios (DH) investiga o caso.

O fuzileiro naval Júlio César dos Santos, de 46 anos, amigo e vizinho de Tadeu, está chocado com as mortes. Morador de Sana Margarida, em Campo Grande, Júlio disse que o conhece há dez anos.

— Era um cara trabalhador e motorista de Uber. Um cara do bem. Há cerca de dois anos passou a ser empresário de Bunitinho — disse Santos.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra Bunitinho cantando uma música romântica durante a festa realizada na comunidade nesta madrugada. Ele estaria em um carro no momento em que foi atingido por disparos

Bunitinho durante encontro com o cantor de funk Nego do Borel
Bunitinho durante encontro com o cantor de funk Nego do Borel Foto: Reprodução/Instagram

Pessoa com deficiência mental, Bonitinho viralizou nas redes sociais no ano passado. Ele tinha 400 mil seguidores no Instagram e quase 100 mil no Youtube e já havia participado de programas de televisão como Balanço Geral, na TV Record, e de rádio, na FM O Dia.

Aos 36 anos, Diego fazia participações em eventos, parcerias com empresas e convivia com o meio artístico, sendo conhecido por cantores como Nego do Borel e Belo. Uma das marcas registradas, era a gravação do vídeo “sextou”, no qual ele comemorava a chegada do fim de semana.

Segundo Júlio Santos, ele cobrava de R$1,5 a R$2 mil por apresentação.

— O Bunitinho, que tinha um probleminha mental, trabalhava com os motoristas de vans de Santa Margarida e costumava gravar vídeos. As postagens estouraram nas redes sociais e os convites começaram a surgir. Há dois anos o Tadeu começou a trabalhar com ele — acrescentou o fuzileiro naval. Blog do Redação

 


Procurado por roubo, sequestro e tráfico de drogas, o baiano José Francisco Lumes, mais conhecido como Zé de Lessa, foi morto na manhã desta quarta-feira, 4, em uma chácara localizada entre os municípios de Aral Moreira e Coronel Sapucaia, no Mato Grosso do Sul.

Líder da facção Bonde do Maluco (BDM), considerada a mais violenta da Bahia, o criminoso é um dos suspeitos de atacar, na segunda-feira, 2, um carro-forte da empresa Brink’s na fronteira com o Paraguai.

A quadrilha responsável pela investida contra o veículo de valores foi localizada na noite desta terça-feira, 3. Nesta manhã, com mandados de prisão emitidos pela Justiça, equipes do Garras, Bope, DOF (Departamento de Operações de Fronteira) e Polícia Militar de Amambai foram até a propriedade, porém, segundo a Secretaria de Segurança Pública local, foram recebidas a tiros.

“Fomos recebidos a bala”, relatou um dos policiais envolvidos. Quatro criminosos morreram e um foi detido na ação, conforme informações do Campo Grande News. Zé de Lessa é natural de Cafarnaum, no Centro Norte da Bahia.

Fonte: A Tarde


A Polícia Federal prendeu na manhã deste sábado (23) um juiz de direito do Tribunal de Justiça da Bahia. A prisão se deu em cumprimento ao mandado de prisão temporária expedido pelo Superior Tribunal de Justiça – STJ,em um desdobramento da Operação Faroeste, deflagrada no dia 19 de novembro.

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Og Fernandes determinou, nesta manhã, a prisão preventiva do juiz Sérgio Humberto de Quadros Sampaio, da 5ª Vara de Substituições da Comarca de Salvador, que se encontrava afastado de suas funções quando a Operação Faroeste foi deflagrada. A operação mira o esquema de venda de sentenças em processos sobre grilagens  oede noterras no oeste da Bahia.

A operação  também levou ao afastamento o presidente do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), Gesivaldo Nascimento Britto, e os desembargadores José Olegário Monção Caldas, Maria da Graça Osório Pimentel Leal e Maria do Socorro Barreto Santiago, além da juíza de primeira instância Marivalda Almeida Moutinho.

Borracheiro
A decisão de Og Fernandes também manda para a prisão temporária, de cinco dias, o borracheiro José Valter Dias, acusado de ser laranja de Adailton Maturino.

No esquema, era o nome de José Dias que constava nos pedidos de transferência de 360 mil hectares de terra. A área equivale a cinco vezes o tamanho de toda Salvador e tornaria o borracheiro um ‘dos maiores latifundiários do País’, segundo o Ministério Público. Ocorre que José Valter Dias, além de nunca ter trabalhado com agricultura, tinha 5% do capital de empresa controlada pela mulher de Adailton Maturino, suposto mentor do esquema, aponta a Procuradoria.

O ministro também estendeu a prisão temporária decretada contra Adailton Maturino, empresário que se identificava como cônsul de Guiné-Bissau e suposto idealizador do esquema, a sua mulher, Geciane Souza Maturino, o assessor do presidente do TJBA, Antônio Roque, e o advogado Márcio Duarte Miranda.

O caso

A Operação Faroeste mirou esquema de venda de sentenças envolvendo figuras do judiciário baiano. O presidente do TJBA, Gesivaldo Britto, foi afastado do cargo junto de outros três desembargadores e dois juízes de primeira instância.

De acordo com as investigações, o grupo de toga atuava em organização criminosa instalada dentro do próprio Tribunal de Justiça, supostamente vendendo sentenças em processos sobre grilagem de terras no oeste da Bahia.

O plano teria sido idealizado por Adailton Maturino, que ‘apresenta-se falsamente como cônsul da Guiné-Bissau’, segundo o Ministério Público Federal. O esquema envolvia também servidores do tribunal, escritórios de advocacia e laranjas para dissimulação das vantagens ilícitas.

“Descobriu-se uma teia de corrupção, com organização criminosa formada por desembargadores, magistrados, e servidores do Tribunal de Justiça da Bahia, bem como por advogados, produtores rurais e outros atores do referido Estado, em um esquema de vendas de decisões para legitimação de terras no oeste baiano”, afirmou o ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça, ao decretar o afastamento do presidente da Corte estadual.

Segundo a Procuradoria, havia uma ‘sinergia’ entre o falso cônsul e os magistrados baianos, que ‘caminham unidos para a manutenção do plano criminoso’.

“Não se pode viabilizar que continuem os investigados em tela ditando o que é justo e o que não é, ou que tomem assento no julgamento das questões internados do Tribunal de Justiça da Bahia, quando eles próprios são suspeitos de abjeta conduta”, afirma Og Fernandes, ao determinar o afastamento dos juízes.

Com a palavra, o Tribunal de Justiça da Bahia

“O Tribunal de Justiça da Bahia foi surpreendido com esta ação da Polícia Federal desencadeada na manhã desta terça-feira (19/11/19). Ainda não tivemos acesso ao conteúdo do processo. O Superior Tribunal de Justiça é o mais recomendável neste atual momento para prestar os devidos esclarecimentos. A investigação está em andamento, mas todas as informações dos integrantes do Tribunal de Justiça da Bahia serão prestadas, posteriormente, com base nos princípios constitucionais.

Pelo princípio do contraditório tem-se a proteção ao direito de defesa, de natureza constitucional, conforme consagrado no artigo 5.º, inciso LV: “aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ele inerentes.”

Ambos são princípios constitucionais e, também, podem ser encontrados sob a ótica dos direitos humanos e fundamentais. Logo, devem sempre ser observados onde devam ser exercidos e, de forma plena, evitando prejuízos a quem, efetivamente, precisa defender-se.

Quanto à vacância temporária do cargo de presidente, o Regimento Interno deste Tribunal traz a solução aplicada ao caso concreto. O 1.º vice presidente, desembargador Augusto de Lima Bispo, é o substituto natural.” Jornal o Correio


Um elemento morador da Vila Isabel, bastante conhecido da polícia de Itapetinga por inúmeros furtos na cidade, acabou sendo linchado por populares da cidade de Itororó ao cometer furtos e roubos nas proximidades da feira livre.

Segundo informações de populares o indivíduo praticou o ato na manhã desta quarta-feira 20, quando foi flagrado por feirantes e comerciantes da localidade e aí o “bambu gemeu”. Populares conseguiram conter o elemento, mas o larápio ficou agressivo e acabou tendo empurra, empurra, quebra quebra e pancadas.

.

O “coitado” do ladrão saiu na pior, sofreu várias escoriações pelo corpo e um corte na cabeça, tentou fugir mas foi capturado pela polícia ao adentrar em uma residência nas proximidades do Hospital da cidade.

A PM conduziu o ladrão até o Hospital, recebeu cuidados médicos e se encontra a disposição da polícia. Informações de um polícia civil da 21ª Coorpin de Itapetinga.

O indivíduo é menor de idade e logo estará nas ruas. Itapetinga Notícias.


Acusada pela Secretária de Segurança Pública do Estado da Bahia de ser uma das maiores traficantes do estado, Jasiane Silva Teixeira, (Dona Maria), teve pedido de Habeas Corpus, concedido pelo ministro Marco Aurélio do Supremo Tribunal Federal, de forma monocrática.

O advogado de Jasiane diz que ela é inocente, no HC impetrado a defesa alega a inexistência de estabelecimento adequado para o cumprimento da pena.

Jasiane foi condenada em Vitória da Conquista, a 5 anos de reclusão, no regime inicial de cumprimento semiaberto, e ao pagamento de 850 dias-multa, ante o cometimento da infração prevista no artigo 35, cabeça (associação para o tráfico), da Lei nº 11.343/2006.

A Primeira Turma da Primeira Câmara Criminal negou provimento à apelação interposta pela defesa.

O STJ – Superior Tribunal de Justiça, através da sexta turma adotou posicionamento semelhante.

Em sua decisão liminar, o ministro relator declarou: “Fixado, no título executivo judicial, o regime inicial semiaberto, a falta de vaga em estabelecimento compatível – colônia agrícola, industrial ou similar – é conducente a assentar-se o direito ao aberto e, não havendo casa de albergado, à prisão domiciliar. Surgindo risco de indevida submissão do paciente a regime mais gravoso do constante da decisão condenatória, mostra-se relevante o pedido de implemento de medida acauteladora.” Em seguida determinou: “Defiro a liminar, determinando que se observe, estritamente, o título condenatório, formalizado no processo nº 0304034- 93.2014.8.05.0274, do Juízo da Segunda Vara Criminal da Comarca de Vitória da Conquista/BA, tal como se contém, ou seja, considerado regime inicial semiaberto. Inexistindo estabelecimento adequado ou ausente vaga em casa de albergado a permitir o pernoite, deve a paciente passar à prisão domiciliar, definindo-se as condições para a efetivação.” (veja aqui) Proferiu o relator em 7 de novembro de 2019.

Em 11 de novembro o Ministério Público Federal, através da Subprocuradora-Geral da República, Cláudia Sampaio Marques, manifestou-se contra a decisão, “…o pedido de prisão domiciliar é manifestamente improcedente, uma vez que, dentre os requisitos do art. 1171 da Lei de Execução Penal, está a exigência de que o custodiado se encontre em regime aberto, o que não é o caso (a paciente foi condenada a cumprir sua pena em regime inicial semiaberto). 16. Ante o exposto, opina o Ministério Público Federal pelo indeferimento do presente habeas corpus.” (veja aqui) Declarou ele.

Em outubro, Aurélio havia negado HC, argumentando as decisões contrárias ao relaxamento da pena nas instâncias inferiores.


Por volta das 10h20 desta terça (12/11), a guarnição da 8ª CIPM lotada em Potiraguá/BA recebeu uma denúncia anônima de que na residência citada estava ocorrendo tráfico de drogas na Rua Ademar Menezes, centro de Potiraguá/BA.

Ao chegar no local um indivíduo, que já é conhecido pela polícia devido ao seu envolvimento com o tráfico, conseguiu  fugir  para o matagal ao notar a presença da PM. O pai do mesmo autorizou a entrada da guarnição que encontrou 12 buchas e mais 01 cocada de maconha, 5 cachimbos artesanais e 01 saco contendo chumbos.

O pai do indivíduo ainda informou aos policiais que aquele material ilícito era do seu filho e que ele teria ido buscar os entorpecentes em Itarantim/BA para comercializar em Potiraguá/BA


De acordo com informações da Polícia Militar enviadas a redação do Blog do Edyy, um homem identificado como Maximo Santana Viana, de 45 anos, foi encontrado morto com sinais de enforcamento no interior de uma residência, no final da tarde desta segunda-feira (11), em Potiraguá.

A Polícia Militar foi acionada por volta das 19h50 e informada de que uma pessoa teria se enforcado.  Logo após o relato, a guarnição se deslocou até o local para verificar o relato da denúncia, e quando chegou deparou-se com um corpo pendurado com uma corda no pescoço, dentro de sua própria residência.

O fato aconteceu no centro da cidade, na Rua Manoel de Brito Alves: A Polícia Civil e o DPT (Departamento de Polícia Técnica) foram acionados para investigar o caso. A princídio, a polícia caracterizou o episódio como suicídio.


A Polícia Civil considera remota a possibilidade de que o assassinato do universitário Hiago Evangelista Freitas, de 24 anos, tenha relação com a sua atividade de motorista por aplicativo.

De acordo com o delegado da Delegacia de Homicídios, Marcus Vinícius, as investigações estão avançando e são remotas as possibilidades de que o crime tenha sido motivado por uma disputa de categorias de transporte. O delegado afirma que as investigações apontam para outro caminho.

Horas depois do corpo de Hiago ser encontrado, foram publicados áudios nas redes sociais afirmando que o caso tivesse relação com disputas entre motoristas de aplicativo e taxistas. Para o delegado as afirmações não procedem e são inconsequentes.

Um adesivo de aplicativo foi encontrado ao lado do corpo de Hiago sob uma pedra. Policiais civis acreditam que pode ter havido uma tentativa de enganar a polícia para que não seja descoberto o verdadeiro motivo do crime.

O delegado não revela detalhes, mas é possível perceber que a PC está bem próxima de revelar o motivo da morte de Hiago. Blitz Conquista