Os advogados de Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) alegaram risco de “estupro” na Penitenciária da Papuda, local em que o baiano está preso e pediram que ele volte para a prisão domiciliar em seu apartamento em Salvador. Mas, o pedido foi negado pela juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, na tarde de hoje. Ela ressaltou o fato de os advogados do peemedebista terem supostamente se baseado em informações “inverídicas” e “especulativas” na petição.

A defesa teria se baseado em matéria publicada no portal “A Folha Brasil”, no dia da prisão do ex-ministro, noticiando que mensagens vazadas por familiares de detentos do Complexo Penitenciário da Papuda dariam conta de “ameaças de estupro” que teriam sido “enviadas aos políticos que estão cumprindo pena ou prisão preventiva”.

Conforme a “reportagem” citada pela defesa de Geddel, facções criminosas teriam avisado aos acusados de corrupção que precisariam prestar serviços sexuais e domésticos aos demais internos. “Um famoso ex-deputado já está ‘casado’ com um traficante. Seus familiares estão pedindo intervenção da Justiça para que a violência e humilhação cessem o mais breve possível”, diz trecho da matéria.


Um jovem de apenas 27 anos foi assassinado com pelo menos quatro tiros na cabeça, na noite deste domingo (03) na rua Bela Vista, por volta das 23h, na cidade de Potiraguá.

Marcos Silva, mais conhecido como ” Negão” não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O crime assustou á todos que passaram pelo local.

O motivo do assassinato ainda está sendo investigado.


Um jovem que ainda não teve a identidade divulgada morreu após ser atingido por pelo menos quatro tiros na cabeça. O crime ocorreu na rua Bela Vista, na cidade de Potiraguá, na noite deste domingo (03), por volta das 23h.

A Polícia Militar foi acionada e está no local do crime. Não há informações dos suspeitos.

“Os moradores do bairro estão muito assustados, pois não é de costume esse tipo de crime acontecer”. Disse.

A qualquer momento teremos mais informações.


Ex-presidente da Câmara e ex-deputado, Eduardo Cunha afirmou em uma proposta de delação premiada que arrecadou R$ 150 milhões com empresários nas eleições de 2014, incluindo mais de R$ 80 milhões em caixa dois.
De acordo com o deputado, o destino do dinheiro era um grupo de mais de 50 deputados que formavam uma espécie de bancada de Eduardo Cunha na Câmara.
Esse grupo era formado principalmente por deputados do PMDB e do baixo clero da Câmara, como PP, PR e PSC.
Cunha citou ainda as empresas que bancaram os valores, entre elas, a Odebrecht e a JBS.

Na tentativa de assaltar duas agências bancárias, os criminosos trocaram tiros com a PM e vigilantes. Duas pessoas morreram. Bandidos foram encontrados durante cerco.

Uma grande operação conjunta entre as polícias Civil e Militar foi montada para localizar os criminosos que levaram terror a população de Santa Margarida, na Região da Zona da Mata, nesta segunda-feira, na tentativa de assaltos a bancos. Um vigia e um policial foram mortos. Durante o cerco, foram presos três integrantes da quadrilha. Além da apreensão de armas de grosso calibre e munição. As ações continuam para tentar encontrar outros membros da facção. Policiais de Belo Horizonte e de outras cidades participam das buscas. Três aeronaves auxiliam.

A ação ousada dos criminosos aconteceu a luz do dia. Por volta 9h, oito criminosos armados com espingardas calibre 12 e fuzis 556, assaltaram uma agência do Banco Sicoob. Em seguida, seguiram para o Banco do Brasil. Nesta segunda tentativa, houve troca de tiros e dois vigilantes foram baleados. Um deles, Leonardo José Mendes, morreu e outro foi encaminhado para o hospital. O estado de saúde deles não foi informado.

Os criminosos fizeram duas pessoas reféns e fugiram em uma caminhonete. As vítimas foram colocadas na caçamba do veículo e serviram de escudo para os bandidos. Na fuga, os homens que estavam na carroceria trocaram tiros com policiais militares. O cabo Marcos Marques da Silva, de 36 anos, foi baleado e morreu na calçada de uma das agências.

Um cerco foi feito na região. Os criminosos fugiram para a zona rural da cidade com os reféns. Por volta das 12h, a caminhonete, Fiat Toro, foi localizada abandonada. No local, as vítimas foram liberadas. Em um matagal próximo, a polícia encontrou várias armas e munição. Três pessoas foram presas por volta das 13h30, e um quarto fugiu.

(em.com.br)


Um cabo de 37 anos da Polícia Militar (PM) foi assassinado por criminosos em uma tentativa de assalto a dois bancos, em Santa Margarida, na Região da Zona da Mata, em Minas Gerais, na manhã desta segunda-feira (10).

O policial militar estava próximo a uma esquina. Ele tenta se aproximar dos assaltantes que atiram contra o militar. Os disparos passam perto do policial e estilhaçam uma vidraça. O PM recua.

88151499696775

Outro policial dirige uma viatura de ré para sair da ação dos criminosos, mas o militar que estava a pé volta para perto da esquina e é surpreendido pelo grupo de assaltantes em uma caminhonete, que atira e mata o policial.

De acordo com a PM, cerca de oito ladrões fortemente armados com fuzis tentaram roubar as agências do Banco do Brasil e do Sicoob.

A PM informou que os suspeitos fugiram em uma picape e que estão sendo rastreados. (g1)


O ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima foi preso preventivamente nesta segunda-feira (3) na Bahia, por decisão do juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília. Ele deve ser levado ainda nesta segunda por agentes da Polícia Federal para Brasília.

Ex-deputado e ex-ministro dos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Michel Temer, Geddel era um principais nomes do PMDB no governo até pedir demissão, em novembro do ano passado, depois de supostamente ter pedido a intervenção do então ministro Marcelo Calero (Cultura) para liberar um empreendimento imobiliário em Salvador. À época, ele negou que tivesse feito pressão sobre Calero. No governo Temer, Geddel era um dos principais responsáveis pela articulação política com deputados e senadores.

Geddel Vieira Lima foi preso acusado de agir para atrapalhar investigações da Operação Cui Bono, que apura fraudes na liberação de crédito da Caixa Econômica Federal – o ex-ministro foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa entre 2011 e 2013, no governo Dilma Rousseff. A investigação, que se concentra no período em que Geddel ocupou o cargo, teve origem na análise de conversas registradas em um aparelho de telefone celular apreendido na casa do então deputado Eduardo Cunha.

O Ministério Público Federal (MPF) argumenta que Geddel atuou para evitar possíveis delações premiadas do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e do doleiro Lúcio Funaro, ambos presos pela Operação Lava Jato e também investigados na Cui Bono.

Segundo o MPF, Geddel tentou garantir que Cunha e Funaro recebessem vantagens indevidas para não fazer delação, além de “monitorar” o comportamento do doleiro para constrangê-lo a não fechar o acordo.

Na petição apresentada à Justiça, foram citadas mensagens enviadas recentemente (entre os meses de maio e junho) por Geddel à esposa de Lúcio Funaro. Para provar, tanto a existência desses contatos quanto a afirmação de que a iniciativa partiu do político, Funaro entregou à polícia cópias de diversas telas do aplicativo.


O ator Fábio Assunção foi detido na cidade pernambucana de Arcoverde após se desentender com policiais militares, na madrugada deste sábado (24). De acordo com o jornal Folha de Pernambuco, Fábio teria quebrado o vidro de uma viatura policial e xingado os PMs. Testemunhas disseram que o ator estava sob efeito de álcool.

Em um vídeo postado na internet, é possível ver o ator algemado no fundo da viatura. “Chama o sargento, eu quero olhar no olho dele”, diz Fábio. Em outro momento, ele acusa o policial de tê-lo desacatado. “Desacato é o que ele fez agora. Eu não sou criminoso, filho da puta. Pede um autógrafo pra ele”, afirma.

Em outro vídeo, pessoas que estava na festa filmam a detenção do ator. “Fábio Assunção acabando a festa de Arcoverde. Fábio Assunção passando vergonha. Olha a situação de um ator da Globo”, são alguns dos comentários.


Com um mandado de soltura, Edimar da Silva Brito, acusado pela morte de duas mulheres, deixou o Conjunto Penal de Vitória da Conquista, na tarde desta terça-feira (20). O habeas corpus, expedido pelo Poder Judiciário do Estado da Bahia. O duplo homicídio aconteceu no dia 20 de janeiro do ano passado e teve repercussão nacional. Juntamente com outros dois homens, um deles cumprindo pena, Edimar teria sido o mentor dos assassinatos da professora Universitária do Estado da Bahia (UNEB), a pastora Marcilene Oliveira Sampaio, e de Ana Cristina Santos Sampaio. Disputa por fieis teria sido o principal fator caracterizado como vingança.

Fonte: (blogdoanderson)


Ainda sem ser julgado pela morte da pastora Marcilene Oliveira Sampaio, 38 anos, e sua prima, Ana Cristina, o “falso profeta” Edimar dos Santos Brito pode sair do Complexo Penal ainda nessa terça, 20.

O acusado de ser o mentor e autor do duplo homicídio sairia nessa segunda, 19, entretanto, um problema no alvará teria adiado a liberdade do presidiário em algumas horas.

Falsos profetas planejavam matar casal e familiares

“pastor” Edimar assume que estava no local do crime, mas diz que foi coagido

A suposta companheira de Edimar esteve no complexo prisional até as 19h, o aguardando sair e afirmou que “o advogado estava bravo com o problema”. É possível que seu advogado esteja providenciando para que o acusado tenha liberdade nas próximas horas.

Falso pastor já está preso

Acompanhe o momento da chegada do "pastor" Edimar. Ele foi capturado numa fazenda a 15km da sede do município de Dário Meira.

Nai-post ni blitzconquista noong Martes, Enero 26, 2016

Desde quando ocorreu o crime, em janeiro de 2016, apenas Adriano Silva dos Santos foi julgado e condenado a 30 anos de prisão. Edimar e Fábio de Jesus Santos aguardam julgamento.

© 2017, BLITZ CONQUISTA. Todos os Direitos Reservados.

Por: (Blitzconquista)