O fim de semana começa violento em Vitória da Conquista. Um jovem, ainda não identificado, foi morto a tiros por volta das 19h30 deste sábado (21).

As primeiras informações que chegam é de que o autor dos disparos fugiu. Moradores, assustados, não quiseram dar mais detalhes.

Até o momento ninguém foi preso.

As informações são do Blog do Rodrigo Ferraz.


A Polícia Civil de Macarani, na região Sudoeste da Bahia, deverá concluir nos próximos dias um dos casos de maior repercussão já registrado no interior do Estado, que teve como vítima a transexual Nati Mota, caso ocorrido em setembro do ano passado na cidade de Maiquinique (cidade vizinha).

O crime aconteceu dentro de um hospital municipal e as cenas de horror foram registradas através da câmera de um celular. Natural de Itapetinga, a vítima foi espancada e esfaqueada e chegou há ficar vários dias internada, escapando da morte por pouco.

A polícia ouviu várias pessoas e as investigações apontaram que, Luciano Gomes dos Santos, de 26 anos, e Jane Dias da Silva Gomes, de 27 anos, (marido e mulher) foram os responsáveis pelo o crime de tentativa de homicídio.

O casal foi preso nesta segunda-feira, dia 16 de outubro, por investigadores da delegacia de Macarani, na cidade de Maiquinique.

Inicialmente, a Justiça Criminal havia autorizado a prisão temporária do casal, entretanto, após a conclusão das investigações, a prisão temporária foi convertida em prisão preventiva.

Um desentendimento banal teria sido a causa  do crime.

Vídeo produzido e publicado na época do crime: veja.

Por Itapetinga Repórter


Um grupo cerca de 100 pessoas realizou neste domingo (1) novas ocupações e saques a fazendas vizinhas a do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), em Itapetinga, sudoeste da Bahia, e em Itaju do Colônia, cidade do sul do estado a 97 km de Itapetinga.
A região está sob tensão desde o dia 23 de setembro, quando a Fazenda Esmeralda, de propriedade de Geddel e familiares, localizada em Itapetinga, foi ocupada por índios que afirmam que a área é sagrada por haver nela cemitérios indígenas – argumento negado pela defesa dos Vieira Lima, que já pediu a reintegração de posse na Justiça.
De acordo com o Sindicato Rural das duas cidades, o grupo estava armado e levou diversos objetos de valor das propriedades, como TVs, rádios, celas, arreios, facas e facões, e fizeram de reféns os funcionários das propriedades.
Em Itapetinga, foram oito fazendas ocupadas e cinco em Itaju do Colônia, onde em 2012 o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou como de habitação tradicional de índios da etnia Pataxó Hã-hã-hãe uma área de 54 mil hectares.
Para dificultar o acesso às fazendas, o grupo colocou no meio da estrada um caminhão quebrado. Em Itapetinga, a ação ocorreu no povoado de Palmares, para onde a Polícia Militar informou que enviou viaturas nesta segunda (2).

Tiros
Funcionários das fazendas foram mantidos sob o poder dos invasores durante todo o domingo – a ação ocorreu durante o dia. Em uma das propriedades, eles obrigaram a esposa do caseiro a preparar comida.

Em outra, por volta das 23h, foram ouvidos diversos disparos de tiros, não se sabe ainda se foram disparados para o alto, como forma de intimidação, ou se houve algum confronto.
Ainda não há a confirmação se o grupo que invadiu as propriedades é de indígenas ou sem terras. A Polícia Civil informou que já está acompanhando o caso e que até as 9h não tinha informações de pessoas feridas.
“Estamos recebendo os fazendeiros e ouvindo as queixas ainda, só teremos um balanço geral ao final do dia”, afirmou o delegado Antonio Roberto Júnior, da delegacia de Itapetinga.
O presidente do Sindicato Rural de Itapetinga Eder Rezende afirmou que a situação está tensa na região e que há a possibilidade de confronto. Ele e o prefeito de Itapetinga Rodrigo Hagge (PMDB) estarão em audiência no Ministério da Justiça nesta terça-feira (3) para pedir auxílio na resolução do conflito. Eles querem também apoio da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).
“Infelizmente, ocorreu o que estávamos prevendo durante a semana passada, quando dissemos que, pelas informações que tivemos, que a invasão da fazenda de Geddel não se tratava de apenas uma ação política. O que ocorreu neste final de semana foi tudo muito bem organizado. O que estamos vivendo é um estado de terror”, comentou Eder Rezende.Fora da área
Um dos fazendeiros que teve a propriedade ocupada neste final de semana é José Elias Júnior, dono da Fazenda Santo Antonio, de 800 hectares, na zona rural de Itaju do Colônia. Um grupo de 70 índios está nas fazendas, segundo ele.
“Os índios disseram que estão fazendo uma retomada, porém nenhuma dessas fazendas está dentro da área delimitada pelo STF em 2012. Em frente a porta da minha fazenda, por exemplo, tem uma placa indicativa da reserva, informando os limites. Nunca tinha tido problemas com índios”, ele disse.
O fazendeiro relatou que os índios estavam armados com espingardas, porém não fizeram reféns os funcionários, “pediram apenas que saíssem da fazenda”.
“Estou prestando uma queixa coletiva na manhã desta segunda-feira em Itabuna, para que possamos dar entrada nos pedidos formais de resolução do problema. Todos achavam que na região não ia ter mais problema com índios depois da demarcação de 2012. É uma situação muito lamentável”, declarou.
Nesta segunda-feira, o deputado estadual Eduardo Salles, do PP, divulgou uma nota, afirmando que, “como presidente da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa da Bahia, ressalto minha indignação com essa situação e vou batalhar em várias instâncias dos governos federal e estadual para que o estado de direito dos produtores seja preservado”.
                         As informações são do site Itapetinga Repórter

 

Após a invasão a fazenda do ex-ministro Geddel Vieira Lima, no dia (23) de setembro, nas proximidades do Rio-Pardo em Potiraguá, o clima voltou a ficar tenso novamente depois de uma outra invasão neste domingo (01), dessa vez na fazenda do ex-prefeito de Potiraguá Salvador Alves de Brito. Segundo informações de populares e em redes sociais (Facebook e Whatsapp), foram invadidas também a fazenda de Marcos de Deus e segundo algumas pessoas que presenciaram o local, de nomes não informados, outras fazendas estão na lista para serem invadidas também.

A polícia Militar e a Polícia Civil da Cidade de Itapetinga estiveram no local, mas não há informações se alguém foi preso.

 

O clima em Potiraguá que estava parcialmente tranquilo, agora com essas novas invasões voltou a ficar tenso.

Logo mais teremos mais informações sobre este caso.

 

 

 


A Justiça Federal em Brasília aceitou hoje (19) denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-ministro Gilberto Carvalho por corrupção passiva em um dos processos da Operação Zelotes. Com a decisão, proferida pelo juiz federal Vallisney de Oliveira, os acusados se tornam réus no processo.

De acordo com a denúncia, Lula, Carvalho e mais cinco investigados são acusados de beneficiar montadoras de veículos por meio da edição de medidas provisórias. As empresas automobilísticas teriam prometido R$ 6 milhões a Lula e Carvalho em troca de benefícios para o setor, afirmam os procuradores do caso.

“Diante de tal promessa, os agentes públicos, infringindo dever funcional, favoreceram as montadoras de veículos MMC [Mitsubishi] e Caoa ao editarem, em celeridade e procedimento atípicos, a Medida Provisória n° 471, em 23/11/2009, exatamente nos termos encomendados, franqueando aos corruptores, inclusive, conhecimento do texto dela antes de ser publicada e sequer numerada, depois de feitos os ajustes encomendados”, afirma o MPF.


Os advogados de Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) alegaram risco de “estupro” na Penitenciária da Papuda, local em que o baiano está preso e pediram que ele volte para a prisão domiciliar em seu apartamento em Salvador. Mas, o pedido foi negado pela juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, na tarde de hoje. Ela ressaltou o fato de os advogados do peemedebista terem supostamente se baseado em informações “inverídicas” e “especulativas” na petição.

A defesa teria se baseado em matéria publicada no portal “A Folha Brasil”, no dia da prisão do ex-ministro, noticiando que mensagens vazadas por familiares de detentos do Complexo Penitenciário da Papuda dariam conta de “ameaças de estupro” que teriam sido “enviadas aos políticos que estão cumprindo pena ou prisão preventiva”.

Conforme a “reportagem” citada pela defesa de Geddel, facções criminosas teriam avisado aos acusados de corrupção que precisariam prestar serviços sexuais e domésticos aos demais internos. “Um famoso ex-deputado já está ‘casado’ com um traficante. Seus familiares estão pedindo intervenção da Justiça para que a violência e humilhação cessem o mais breve possível”, diz trecho da matéria.


Um jovem de apenas 27 anos foi assassinado com pelo menos quatro tiros na cabeça, na noite deste domingo (03) na rua Bela Vista, por volta das 23h, na cidade de Potiraguá.

Marcos Silva, mais conhecido como ” Negão” não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O crime assustou á todos que passaram pelo local.

O motivo do assassinato ainda está sendo investigado.


Um jovem que ainda não teve a identidade divulgada morreu após ser atingido por pelo menos quatro tiros na cabeça. O crime ocorreu na rua Bela Vista, na cidade de Potiraguá, na noite deste domingo (03), por volta das 23h.

A Polícia Militar foi acionada e está no local do crime. Não há informações dos suspeitos.

“Os moradores do bairro estão muito assustados, pois não é de costume esse tipo de crime acontecer”. Disse.

A qualquer momento teremos mais informações.


Ex-presidente da Câmara e ex-deputado, Eduardo Cunha afirmou em uma proposta de delação premiada que arrecadou R$ 150 milhões com empresários nas eleições de 2014, incluindo mais de R$ 80 milhões em caixa dois.
De acordo com o deputado, o destino do dinheiro era um grupo de mais de 50 deputados que formavam uma espécie de bancada de Eduardo Cunha na Câmara.
Esse grupo era formado principalmente por deputados do PMDB e do baixo clero da Câmara, como PP, PR e PSC.
Cunha citou ainda as empresas que bancaram os valores, entre elas, a Odebrecht e a JBS.

Na tentativa de assaltar duas agências bancárias, os criminosos trocaram tiros com a PM e vigilantes. Duas pessoas morreram. Bandidos foram encontrados durante cerco.

Uma grande operação conjunta entre as polícias Civil e Militar foi montada para localizar os criminosos que levaram terror a população de Santa Margarida, na Região da Zona da Mata, nesta segunda-feira, na tentativa de assaltos a bancos. Um vigia e um policial foram mortos. Durante o cerco, foram presos três integrantes da quadrilha. Além da apreensão de armas de grosso calibre e munição. As ações continuam para tentar encontrar outros membros da facção. Policiais de Belo Horizonte e de outras cidades participam das buscas. Três aeronaves auxiliam.

A ação ousada dos criminosos aconteceu a luz do dia. Por volta 9h, oito criminosos armados com espingardas calibre 12 e fuzis 556, assaltaram uma agência do Banco Sicoob. Em seguida, seguiram para o Banco do Brasil. Nesta segunda tentativa, houve troca de tiros e dois vigilantes foram baleados. Um deles, Leonardo José Mendes, morreu e outro foi encaminhado para o hospital. O estado de saúde deles não foi informado.

Os criminosos fizeram duas pessoas reféns e fugiram em uma caminhonete. As vítimas foram colocadas na caçamba do veículo e serviram de escudo para os bandidos. Na fuga, os homens que estavam na carroceria trocaram tiros com policiais militares. O cabo Marcos Marques da Silva, de 36 anos, foi baleado e morreu na calçada de uma das agências.

Um cerco foi feito na região. Os criminosos fugiram para a zona rural da cidade com os reféns. Por volta das 12h, a caminhonete, Fiat Toro, foi localizada abandonada. No local, as vítimas foram liberadas. Em um matagal próximo, a polícia encontrou várias armas e munição. Três pessoas foram presas por volta das 13h30, e um quarto fugiu.

(em.com.br)