O jornalista Daniel Silva informou no Redação Brasil desta segunda-feira (15) que o governador Rui Costa pretende realizar uma inauguração extra do novo aeroporto de Vitória da Conquista, sem a presença do presidente da República Jair Bolsonaro, que já confirmou ao prefeito Herzem Gusmão a presença no ato marcado para o dia 23. “O que há nos bastidores é que teremos duas solenidades. Uma com Bolsonaro sem Rui Costa e outra com Rui Costa sem Bolsonaro”.

Confira a participação de Daniel Silva no Redação Brasil

Com informações do Blog do Redação


Não é de hoje que o nome do professor, Júnior Santana, vem sendo cogitado para a sucessão municipal da cidade Potiraguá. Em janeiro deste ano o Blog do Edyy lançou uma pesquisa com alguns nome cotados a disputar a cadeira do executivo em 2020, onde o nome do mesmo foi bastante votado pelos internautas que deram a ele o segundo lugar no resultado da enquete.

Após ter o nome lançado na pesquisa e com a chegada do segundo semestre de 2019 e a proximidade do pleito, o nome de Júnior Santana, vem sendo cada vez mais citado pelos bastidores do município e do distrito.

Professor e engenheiro agrônomo, Junior, também foi secretário nos governos dos ex-prefeitos Dr Olyntho (PSD), e Luís Soares (PP), onde por sua vez foi muito bem avaliado. Mesmo com as especulações, o engenheiro agrônomo até o momento não confirma uma pré-candidatura.


A Câmara Municipal de Vereadores da cidade de Itarantim aprovou por unanimidade no último dia 18 do mês de junho, o projeto de Nº 006/2019, de autoria do vereador Graziano de Oliveira Reis, (Naninho), que obriga a embasa (Empresa Baiana de Águas e Saneamento) instalar equipamentos eliminador/bloqueador de ar nas tubulações do sistema de água do hidrômetro no Município.

O vereador Naninho foi bastante aplaudido e parabenizado pelos demais colegas edis e pela população da cidade de Itarantim, que tanto vem sofrendo há muito tempo com os altos valores na conta de água.

Com isso, a empresa concessionária do serviço de abastecimento de água e esgoto no município de Itarantim, fica obrigada a instalar, independentemente de solicitação do consumidor, equipamento bloqueador/eliminador de ar, antes do hidrômetro, na tubulação de seu imóvel.

Ainda de acordo com o projeto, as despesas decorrentes da aquisição dos equipamentos serão de responsabilidade da empresa fornecedora dos serviços de água sem nenhuma despesa para o proprietário do imóvel. O equipamento eliminador e bloqueador de ar a ser instalado deve ser aqueles autorizados e regulamentados pela agência reguladora do serviço público de abastecimento de água e INMETRO.

Após a publicação dessa Lei, o prestador de serviço público de abastecimento de água no município, terá o prazo máximo de 30 (trinta) dias para instalação do Eliminador/bloqueador de ar na tubulação.

“Este projeto visa beneficiar os cidadãos e cidadãs de nossa cidade que estão sendo lesados no cálculo da cobrança de água e esgoto, pagando por algo que não consumiram.

Isto porque, o consumo da água é adulterado pala entrada de ar na tubulação, não sabendo o hidrômetro diferenciar entre ar e água, e como consequência os consumidores pagam ar em vez de água na cobrança da prestação do serviço.

A instalação dos bloqueadores/eliminadores de ar da tubulação pode significar uma redução média de 35% do valor das contas de água, dinheiro que poderia ter sido revertido em favor dos 19.646 usuários (população de Itarantim, segundo o IBGE de 2018) distribuídos em 5.331 domicílios (IBGE, 2010) da prestação do serviço, vez que aumentaria seu poder consumo e por conseguinte dinamizaria a economia local”. Disse o vereador.


Anúncios!



O ex-senador Magno Malta esteve na cidade de Potiraguá, nesta quinta-feira (27), na casa dos seus familiares, durante uma visita pela região, no sul da Bahia.

Magno Malta chegou em Potiraguá ás 23h30 desta quinta-feira,  passou a noite com seus irmão, na casa do seu tio, sargento Cosme. Durante o dia, nesta sexta-feira (28), Magno Malta passeou pela cidade, onde segundo o ex-senador, o município faz parte das suas raízes.

No final da manhã, ele seguiu para a cidade de Macarani, sua terra natal, onde também possui parentes. Depois o ex-senador seguiria para a cidade de Itapetinga e Vitória da Conquista, onde finalizaria sua visita pela região.

Escute logo abaixo o áudio do ex-senador enviado ao Blog do Edyy

Magno Pereira Malta, nasceu na cidade de (Macarani, em 16 de outubro de 1957), é um pastor evangélico, cantor e político brasileiro, filiado ao Partido da República (PR). Foi senador pelo Espírito Santo.

Ingressou na vida pública em 1993, quando foi eleito vereador, e posteriormente foi deputado estadual e federal. Foi membro do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), do Partido Liberal (PL), onde foi eleito como senador, em 2002, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e Partido Social Trabalhista, antes de se filiar ao PR. Ficou conhecido por ser presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito sobre narcotráfico, enquanto deputado federal, e por presidir a Comissão da Pedofilia, no Senado Federal. Nas eleições 2018, não conseguiu se reeleger como senador pelo seu estado, ficando em terceiro lugar na disputa.


O prefeito de Brumado, Eduardo Lima Vasconcelos será denunciado ao Ministério Público Estadual por suspeita de crime contra a administração pública e terá que devolver aos cofres do município R$4.077.350,93 que foram gastos na aquisição irregular de terrenos a preços superfaturados – que sofreram acréscimos de até 6.500% em poucos meses. A decisão foi tomada pelo Tribunal de Contas dos Municípios, nesta terça-feira (25/06), ao julgar termo de ocorrência lavrado em razão de irregularidades em dispensa de licitação para a aquisição dos imóveis pela administração, sem qualquer avaliação prévia e com claros indícios de superfaturamento. O processo foi realizado nos meses de outubro a dezembro de 2017, gerando uma despesa total de R$4,3 milhões.

O conselheiro José Alfredo Rocha Dias determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual contra o prefeito para que seja apurada a prática de ato de improbidade administrativa. Os conselheiros também aprovaram a imputação de multa no valor de R$10 mil, bem como a determinação de ressarcimento aos cofres municipais do valor de R$4.077.350,93, com recursos pessoais do gestor, por ter sido constatado o superfaturamento nos valores atribuídos aos imóveis.

O termo de ocorrência analisou as dispensas realizadas para aquisição dos terrenos visando a ampliação do Centro Municipal de Educação Agamenon Santana (R$3.150.000,00); ampliação da Escola Municipal Prof. Roberto Santos (R$370.000,00); ampliação da Escola Municipal Armida Azevedo (R$240.000,00); e outros cinco terrenos para a construção de escolas municipais (R$110.000,00, cada).

Na defesa encaminhada, o gestor não conseguiu esclarecer quais seriam as características que teriam tornado “os imóveis singulares e mais vantajosos” à administração pública quando comparados aos demais disponíveis no município de Brumado.

A relatoria verificou que em três das dispensas de licitação não foram apresentados sequer os laudos de avaliação prévia para ao menos demonstrar possibilidade de compatibilidade dos preços dos imóveis com o valor de mercado. Em uma delas, o laudo de avaliação de imóvel, foi identificado já no processo de pagamento, ou seja, em data posterior à homologação da dispensa. Em outras três dispensas, os laudos também são posteriores às datas das homologações das respectivas contratações diretas, o que contraria a exigência de realização prévia dessas avaliações contida na Lei Geral de Licitações e Contratos.

O relator do processo, conselheiro José Alfredo Dias, por estas razões, alegou que os supostos laudos de avaliação apresentados pelo prefeito nos processos administrativos, “não podem ser considerados como válidos ou suficientes a atender as exigências legais, pois mostram generalidade, padronização e falta de especificação do objeto avaliado e das condições que interferiram na fixação do preço”.

Em relação ao sobrepreço, a área técnica do TCM apurou que os terrenos foram comprados pela prefeitura, em curto espaço de tempo, por valores significativamente maiores que os preços praticados pelos proprietários anteriores, havendo claros indícios de que as compras teriam sido realizadas em operação “triangularizada” para aumentar artificialmente o valor dos imóveis.

“Tais valorizações dos imóveis – de mais de 6.500% – em curtos períodos, inclusive em momento de crise econômica e recessão no mercado imobiliário, ultrapassam o patamar da razoabilidade e justificam o apontamento feito pela área técnica de que houve a prática de sobrepreço, razão pela qual se imputa ao gestor o ressarcimento, com recursos pessoais, dos valores pagos a mais nas aquisições dos terrenos questionados”, disse o relator.

O Ministério Público de Contas, em seu pronunciamento, alertou que os laudos de avaliação apresentados pelo gestor possuem indícios de terem sido criados de maneira artificial, com valores aleatoriamente atribuídos aos bens, não tendo sequer havido comparação com os valores praticados no mercado imobiliário local.

Desta forma, o MPC também se posicionou pela procedência do termo de ocorrência, “com aplicação de multa ao prefeito e sua condenação em ressarcimento aos cofres públicos dos valores reconhecidos como superfaturados, bem assim representação ao Ministério Publico Estadual para apuracão de eventuais condutas delituosas e possível configuração de improbidade administrativa”.

Cabe recurso da decisão.


Fora do Senado desde o início de 2019, após término de seu mandato de 8 anos, Walter Pinheiro garantiu sua aposentadoria especial, de acordo com reportagem da revista Crusoé.

O ex-senador petista, que atualmente comanda a Secretaria de Planejamento na gestão estadual baiana, se aposentou pelo Senado com salário de 25 mil reais mensais.

Além de senador, Walter Pinheiro foi deputado federal de 1997 a 2011. Antes disso, foi vereador de Salvador por quatro anos.

Baianos optam pela aposentadoria especial:

Ao todo, 172 deputados optaram pelo regime especial de aposentadoria. Destes, 26 são baianos – mais da metade da bancada do estado, formada por 39 parlamentares.

O PSSC tem regras mais duras do que o extinto Instituto de Previdência dos Congressistas (IPC). A aposentadoria do deputado no PSSC está sujeito ao teto do funcionalismo (R$ 39,2 mil).

Para se aposentar por ele, são necessários 60 anos de idade. O benefício é proporcional aos anos de contribuição: a cada ano, é acrescido 1/35 do salário de parlamentar, equivalente a R$ 964.

Fontes:Bahia.ba e Antagonista


O Vereador Eliomar Barreira, o (Tarugão), foi denunciado ao MP por possível ato de improbidade administrativa, no episódio que ficou conhecido como a “farra das indenizações”.

No fim do biênio o qual presidiu a casa, Tarugão efetuou o pagamento das indenizações por tempo de serviço, emitindo cheques “gordos”, o que atraiu muitos olhares em torno do episódio.

Informações extra-oficiais, dão conta de que existe mais “sujeira por baixo desse tapete”. O Ministério Público vai investigar e apurar se houve ou não irregularidades quanto ao ato realizado no fim do mandato do ex-Presidente da casa.

As informações são do site cafenobule.blog.br


O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o Colégio de Presidentes de Seccionais emitiram nota recomendando o afastamento do ex-juiz e atual ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro e do procurador da República Deltan Dallagnol.

Segundo o texto, esses devem ser afastados dos cargos públicos que ocupam para que sejam feitas investigações “sem qualquer suspeita” sobre as mensagens trocadas entre eles e trazidas a tona pelo The Intercept Brasil neste domingo (9).

A OAB afirma no texto que as mensagens indicam uma “possível relação de promiscuidade na condução de ações penais no âmbito da operação lava-jato”. “Não se pode desconsiderar, contudo, a gravidade dos fatos, o que demanda investigação plena, imparcial e isenta, na medida em que estes envolvem membros do Ministério Público Federal, ex-membro do Poder Judiciário”, diz trecho da nota da OAB


Na sessão ordinária desta quinta-feira (06), o presidente da Câmara de Potiraguá foi cobrado mais uma vez sobre os devidos repasses do executivo ao legislativo.

Na oportunidade, o vereador Lequinho e a vereadora Idene cobraram mais transparência do presidente com o dinheiro da Câmara. Segundo o vereador Lequinho, a casa está precisando de várias manutenções e está precisando de computadores. O vereador ainda afirma que a Secretária da casa está tendo várias dificuldades em realizar as tramitações do legislativo.

Bastante tímido na resposta, o presidente Antônio Oliveira, disse que mensalmente está enviando ofícios ao executivo cobrando os repasses mensal. Mas não foi o suficiente para convencer os edis presentes.

Além dessa cobrança dos vereadores, o presidente também não esclareceu onde foi gasto o repasse do final do ano passado, 2018. O dinheiro entrou na conta no dia 20 de dezembro e no dia 23 já tinha sido gasto.

O Blog do Edyy está à disposição para qualquer esclarecimento do presidente da Câmara.


O mandato da prefeita de Camamu, no Baixo Sul da Bahia, Ioná Queiroz Nascimento (PT), eleita em 2016, foi cassado em julgamento da sessão plenária jurisdicional do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desta terça-feira (4). Com a decisão, a cidade passará por um novo processo eleitoral.

Segundo o Tribunal, o julgamento, marcado para Às 19h, se debruçou sobre o recurso interposto pela coligação Trabalho e Compromisso que pleiteava a cassação do registro de candidatura da prefeita. O argumento da coligação é de que Ioná ainda estaria inelegível na data do pleito, com base na Lei da Ficha Limpa, em virtude de sua condenação por abuso de poder econômico na campanha eleitoral de 2008.

O julgamento do caso pelo Plenário do TSE foi retomado na sessão desta terça com o voto-vista do ministro Og Fernandes, que acompanhou a conclusão do relator do recurso, o então ministro Admar Gonzaga, pelo indeferimento do registro de candidatura de Ioná.

O placar final foi de 6 votos a 1 pelo indeferimento do registro de candidatura da prefeita de Camamu e a consequente realização de um novo pleito no município.