Blog do Edyy

Equipe de Cirurgia Torácica do HGVC realiza mais um procedimento inédito

No início do mês de abril, foi realizado mais um procedimento inédito no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC). A técnica utilizada desta vez foi a endoscopia respiratória com auxílio de energia Diodo Laser, feita pela primeira vez no Sistema Único de Saúde (SUS) em Vitória da Conquista e sendo completamente custeada pelo SUS.

O procedimento foi realizado em uma criança de três anos, que logo ao nascer foi submetida a uma intubação prolongada. Por ela ter passado muito tempo na UTI com o tubo orotraqueal e traqueostomia para ventilação mecânica, sua traqueia adquiriu uma agressão chamada de traqueomalácia, que levou à obstrução e condicionou a criança a fazer o uso contínuo de traqueostomia.

Por se tratar de uma lesão adquirida, existem dois tipos de tratamento. Um deles é por cirurgia, retirando o fragmento que está doente, depois anastomosa (união de dois segmentos remanescentes do órgão – no caso, a traquéia). No segundo tipo, tenta-se resolver pela endoscopia respiratória, que é menos invasiva.

Neste caso, foi utilizada a tecnologia do Diodo Laser, em que a reação do laser cauteriza a lesão à medida que vai abrindo espaço e desobstruindo. Logo depois, é colocada uma prótese, um tubo em formato de “T”. A criança fica cerca de seis meses com essa prótese para que a cicatrização seja moldada sobre a mesma. Depois desse período, a prótese é retirada. O esperado é que a criança não tenha mais necessidade do uso da traqueostomia e nem da prótese.

De acordo com Rafael Sodré, especialista em Cirurgia Torácica e médico que atuou na realização do procedimento, com esse tipo de tecnologia, crianças nessa idade que apresentam o mesmo tipo de condição poderão evitar cirurgias mais invasivas.


 


Curta e Compartilhe.


Leia Também