Blog do Edyy

Maiquinique: Com oxigênio improvisado, bebê morre em hospital e família denuncia negligência médica

Uma família da cidade de Maiquinique, no Médio Sudoeste do estado registrou um Boletim de Ocorrência contra o Hospital Maternidade do Município aonde uma criança que nasceu prematura acabou vindo a óbito.

De acordo com a família, houve negligência do hospital desde quando a mãe da criança teria dado entrada na unidade hospitalar, que segundo eles, ela sentia fortes dores, mas que, aparentemente havia condições de ser transferida para uma outra cidade com um maior suporte hospitalar.

No final da manhã de hoje, terça-feira (03), a redação do Blog do Edyy foi acionada pelos familiares que prontamente relataram toda a situação ocorrida dentro do Hospital Maternidade de Maiquinique.

“Meu sobrinho se chama Pedro, era prematuro de 7 meses. Ele faleceu no Hospital Maternidade de Maiquinique esperando uma suposta “ambulância UTI” que viria buscá-lo para levar para Brumado, para ser entubado. Na verdade, eles, o (hospital/prefeitura) não haviam solicitado a ambulância, mentiram para família. Temos prova de que o Estado não foi notificado, temos em mãos o prontuário médico que prova isso.

A criança sobreviveu o dia inteiro basicamente só, apenas com um oxigênio improvisado e incorreto, um berço aquecido improvisado, sem assistência da enfermagem, não havia ninguém ao lado dele em uma sala imensa e gelada.

Minha irmã (mãe do bebê), não podia se levantar da cama, na sala à frente da de parto, onde ele estava sozinho e sem assistência, com TUDO irregular e improvisado. Estava frio, aqueceram ele com o próprio cobertor que minha mãe (avó dele) havia levado pra ele.

Na noite passada, ele teve uma parada cardíaca, mas reanimaram, quando então surgiu a ideia de levar ele para uma UTI particular, já que a ambulância prometida, não havia chegado, e o estado dele passou de bom para grave.

O prefeito se recusou ajudar, o hospital não respondia (encarregados), o diretor do hospital passou a ignorar as ligações e sumiu. Meu sobrinho faleceu!.

Lutou o dia inteiro, estava bem, nasceu de 7 meses, e sobreviveu por horas sozinho, aguardando ajuda, essa que nunca chegou.

Além do mais, a minha irmã chegou no hospital com muita dor, porém a “bolsa” dela não havia estourado, dava para ter levado ela à Vitória da Conquista ou outra cidade que fosse a receber e cuidar devidamente da criança e da mãe. Não tinha nada para uma criança em um hospital que se chama “hospital maternidade” “. Relatou uma representante familiar à nossa redação.

De acordo com a família, após registrar o boletim na Delegacia da Polícia Civil de Itapetinga, o delegado solicitou que o corpo da criança fosse encaminhado para o Instituto Médico Legal para a realização de exames. O caso está sendo investigado.

A nossa redação não conseguiu contato com a direção do Hospital de Maiquinique, mas o site está a disposição para futuros esclarecimentos.


Curta e Compartilhe.


Leia Também