Segundo decêndio registra queda de 25 por cento em relação ao mesmo período em 2018 – O segundo decêndio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para o mês de agosto será creditado na próxima terça-feira, 20 de agosto, nos cofre municipais. O repasse, comparado com mesmo decêndio do ano anterior, apresentou uma queda de 25,41% em termos nominais valores sem considerar os efeitos da inflação, de acordo com dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Confira aqui a nota completa.

Com o desconto do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), o valor será pouco mais de R$ 438 milhões. Agora, quando se soma o Fundeb, o FPM ultrapassa os R$ 547 mi.


Uma jovem de 19 anos foi morta pela filha do homem com quem ela estava saindo na cidade de Manaus. Francisca Amorim Queiroz saia do salão de beleza no dia do próprio aniversário quando foi abordada por outra jovem de 19 anos, filha de um homem de quem ela era amante .

As duas trocaram agressões no meio da rua enquanto a população ao redor assistia e filmava a confusão. Em certo momento, Francisca bate a cabeça no chão. Quando a briga é separada, ela cambaleia e cai.

A mulher foi socorrida, mas morreu no hospital. A família registrou um boletim de ocorrência e a Delegacia Especializada em homicídios e Sequestros de Manaus deve analisar o caso. Não há informações sobre o paradeiro da jovem responsável pelo crime.

Veja vídeo da agressão abaixo. As imagens são fortes:


O deputado distrital Francisco Domingos dos Santos, também conhecido como Chico Vigilante, do PT (Partido dos Trabalhadores), gravou um vídeo, em sua rede social (Facebook) alertando os Brasileiros que trabalham de carteira assinada, sobre o saque do fundo de garantia, o FGTS, proposto pelo governo federal no último dia (24).

No vídeo, gravado ao vivo, no último dia 25 de julho, o deputado disse que o saque antecipado é um “golpe” proposto pelo Governo Federal. Segundo ele, quem efetuar o saque antes de sua demissão sem justa causa estará assinando um acordo que não permite o trabalhador sacar seu fundo de garantia após sua demissão. Assista o vídeo e entenda o que diz o deputado.


O presidente da República Brasileira Jair Messias Bolsonaro trabalha em alterações no programa Mais Médicos que devem contemplar a reincorporação de profissionais cubanos. Eles haviam sido desligados com o rompimento do acordo entre Brasil e Cuba, no final do ano passado, após críticas de Bolsonaro sobre a qualificação deles. O Governo Federal deve editar até agosto uma medida provisória com as mudanças, conforme noticiado pelo jornal O Estado de S. Paulo. Pelo plano, cubanos que já atuaram no Mais Médicos voltariam à atuar na atenção básica do SUS [Sistema Único de Saúde] por dois anos e, terminado esse prazo, precisariam passar por revalidação no diploma. Confira a reportaagem da Folha de S. Paulo.

Após a saída dos cubanos, o governo federal tem tido dificuldades de preencher, com médicos brasileiros, as vagas direcionadas a regiões distantes dos grandes centros, foco do programa desde que foi criado, em 2013. Áreas pobres de grandes cidades também têm registrado dificuldades.

A reincorporação de cubanos tem sido estudada desde março, conforme o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse na ocasião em audiência no Senado.

A pasta ainda estuda iniciativa com valores diferentes de remuneração em cidades mais distantes dos grandes centros, além de integrar a atividade profissional a um programa de formação.

A estimativa é que cerca de 2.000 profissionais não retornaram à Cuba após o fim da parceria entre os dois países. Segundo informou o Ministério da Saúde, há uma ação integrada dentro do governo para “para auxiliar a permanência desses profissionais no país e alternativas para o seu exercício profissional”.

O governo tentou preencher as vagas com médicos brasileiros formados no Brasil e no exterior, mas há dificuldades para garantir a permanência. Cerca de 15% dos brasileiros que entraram no Mais Médicos desistiram de participar do programa nos primeiros três meses do ano.

O Ministério da Saúde abriu nesta semana processo seletivo para preencher 600 vagas do programa que não haviam sido preenchidas pelo edital lançado em maio, com 2.149 vagas. A primeira etapa era voltada a profissionais formados no Brasil e, agora, as vagas estão disponíveis para brasileiros titulados no exterior (sem a necessidade de revalidação do diploma no país).

Fonte: Folha de S. Paulo


O empresário gaúcho Sadi Paulo Castiel Gitz, da cerâmica Escurial, cometeu suicídio durante um evento em Aracaju, capital de Sergipe, na manhã desta quinta-feira (4). O Governo do Estado de Sergipe lamentou o ocorrido por meio de uma nota pública.

O evento discutiria aspectos relacionados à produção e oferta de gás em Sergipe, as estratégias do Governo Federal e Estadual para a área, além da visão de instituições e empresas envolvidas no tema. No evento, estava presente o Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

Por conta do ocorrido, o Simpósio de Oportunidades foi cancelado, anunciou o governo por meio de nota pública.

No momento em que o empresário atirou contra a própria cabeça, o governador de Sergipe Belivaldo Chagas se pronunciava. A informação é que ele teria se levantado e pronunciado “Belivaldo, você é um grande mentiroso”, em seguida atirou.

De acordo com informações da TV Atalaia, afiliada da Record TV em Sergipe, no mês de maio a fábrica de cerâmica, que Sadi era diretor presidente, localizada no município de Nossa Senhora do Socorro, na Grande Aracaju, deu início ao processo de hibernação.

A empresa havia perdido mais de 600 empregos diretos e indiretos. O motivo determinante para o processo de hibernação seria o preço do gás cobrado pela Sergipe Gás (Sergas), empresa concessionária do Governo do Estado.

Quem era o empresário

Nascido em Porto Alegre, Sadi Gitz é graduado em Matemática, Engenharia Mecânica e Administração. Pós-graduado em Engenharia Naval e Engenharia de Segurança pela PUC do Rio Grande do Sul, com MBA em Gestão pela Fundação Getúlio Vargas.

No serviço público atuou na SMTT (Superintendência de Transporte e Trânsito) e na Emsurb (Empresa Municipal de Serviços Urbanos). Ex-presidente da Acese (Associação Comercial e Empresarial de Sergipe), atualmente é diretor presidente da Cerâmica Sergipe S/A, fundada por ele em 1986.

Com informações do R7


O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira (15) em Dallas, no estado norte-americano do Texas, que não gostaria de contingenciar verbas, em especial da educação, mas que o bloqueio é necessário e que os manifestantes que protestam contra isso no Brasil “uns idiotas úteis, uns imbecis”. Assista ao vídeo:

“É natural, é natural. Agora… a maioria ali é militante. É militante. Não tem nada na cabeça. Se perguntar 7 x 8 não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. Não sabe nada. São uns idiotas úteis, uns imbecis que estão sendo utilizados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais do Brasil”, afirmou Bolsonaro.

O presidente chegou na manhã desta quarta a Dallas, onde estão previstos um evento em que Bolsonaro receberá uma homenagem e um encontro com o ex-presidente dos Estados Unidos George W. Bush.

Assim que chegou, Bolsonaro se dirigiu ao hotel. Na porta, ele foi questionado por jornalistas sobre os protestos contra bloqueios na educação que ocorrem em quase todo o Brasil nesta quarta.


Agentes de trânsito, conselheiros tutelares, caminhoneiros e políticos eleitos não vão precisar comprovar ‘efetiva necessidade’ para transportar armas fora de casa.

Um decreto do presidente Jair Bolsonaro publicado nesta quarta-feira (8) facilita o porte de arma para um conjunto de profissões, como advogados, caminhoneiros e políticos eleitos – desde o presidente da República até os vereadores. O direito ao porte é a autorização para transportar a arma fora de casa.

  • LEIA A ÍNTEGRA DO DECRETO

O texto foi assinado por Bolsonaro em cerimônia no Palácio do Planalto na terça (7), quando ele citou apenas algumas das categorias que teriam o porte facilitado: caçadores, colecionadores e atiradores – conhecidos como CACs.

O Estatuto do Desarmamento prevê que, para obter o direito de porte, é preciso ter 25 anos, comprovar capacidade técnica e psicológica para o uso de arma de fogo, não ter antecedentes criminais nem estar respondendo a inquérito ou a processo criminal e ter residência certa e ocupação lícita.

Além disso, é preciso comprovar “efetiva necessidade por exercício de atividade profissional de risco ou de ameaça à sua integridade física”.

O decreto de Bolsonaro altera esse último requisito e afirma que a comprovação de efetiva necessidade será entendida como cumprida para as seguintes pessoas:

  • Instrutor de tiro ou armeiro credenciado pela Polícia Federal
  • Colecionador ou caçador com Certificado de Registro de Arma de Fogo expedido pelo Comando do Exército
  • Agente público, “inclusive inativo”, da área de segurança pública, da Agência Brasileira de Inteligência, da administração penitenciária, do sistema socioeducativo, desde que lotado nas unidades de internação, que exerça atividade com poder de polícia administrativa ou de correição em caráter permanente, ou que pertença aos órgãos policiais das assembleias legislativas dos Estados e da Câmara Legislativa do Distrito Federal
  • Detentor de mandato eletivo nos Poderes Executivo e Legislativo da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, quando no exercício do mandato
  • Advogado
  • Oficial de justiça
  • Dono de estabelecimento que comercialize armas de fogo ou de escolas de tiro ou dirigente de clubes de tiro
  • Residente em área rural
  • Profissional da imprensa que atue na cobertura policial
  • Conselheiro tutelar
  • Agente de trânsito
  • Motoristas de empresas e transportadores autônomos de cargas
  • Funcionários de empresas de segurança privada e de transporte de valores

Além do porte, o texto altera as regras sobre importação de armas e sobre o número de cartuchos que podem ser adquiridos por ano – que passam de 50 para 1 mil em caso de armas de uso restrito e 5 mil, nas de uso permitido.

G1


Começa no próximo dia 1º de maio o prazo para vacinação de bovinos e bubalinos contra a febre aftosa. De acordo com a Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec), a expectativa é alcançar 8,6 milhões de animais em todo o estado.

A campanha de vacinação segue até o dia 31 de maio. Ao todo 56,4 mil propriedades rurais deverão comprovar a vacinação dos animais. A multa para quem deixar de vacinar é de R$ 5,32 por animal e R$ 127,69 por propriedade não declarada.

A vacina deve ser adquirida em lojas veterinárias licenciadas. Depois da compra, o criador terá 10 dias para comprovar a vacinação em qualquer unidade da Adapec.

De acordo com o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, a vacinação fortalece a cadeia produtiva mantendo o Tocantins livre da doença. “O status sanitário remete a qualidade da nossa carne e consequentemente o desenvolvimento de todos os setores. Por isso é tão importante estarmos atentos e unidos preservando o que foi conquistado”, disse.

Veja recomendações da os proprietários na hora de vacinar o rebanho:

  • Manter a vacina na temperatura ideal, entre 2°C e 8ºC, até o momento da vacinação.
  • Reunir o rebanho e vacinar nas horas mais frescas do dia.
  • Usar agulhas novas, adequadas e limpas. O ideal é trocar a agulha a cada 10 aplicações para evitar caroços e inflamações.
  • Vacinar na tábua do pescoço do animal, podendo ser no músculo ou embaixo da pele.

Os medicamentos vão ficar mais caros a partir do dia primeiro de abril. De acordo com a Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias (Febrapar), o reajuste anual será de 4,33%, uma média da inflação mais a produtividade do setor farmacêutico. O cálculo foi baseado no Fator de Ajuste de Preços Relativos Entre Setores (Fator Y), fixado em 0,443% pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos, do Ministério da Saúde, e publicado no Diário Oficial da União (DOU) da última segunda-feira.

O índice oficial será divulgado pelo Ministério da Saúde até o próximo dia 31 de março, também pelo DOU. O presidente da Febrapar, Edson Tomascia, diz que o reajuste já estava previsto e engloba os custos da indústria farmacêutica desde o último aumento, em abril de 2018. “A base é a inflação mais a produtividade do ano. Com inflação baixa e crescimento baixo deve gerar impacto, mesmo abaixo da inflação do período como ocorreu nos últimos anos”, afirma.

em abril, mas ele não compensa os custos da indústria que são calculados em dólar, e as farmácias não podem evitar o repasse ao consumidor porque já vão comprar com preços novos. “A alternativa para quem faz uso contínuo de remédios, se tiver condições, é antecipar as compras para driblar o aumento”, sugere.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos de Pernambuco (Sincofarma), Ozéas Gomes, afirma que os reajustes, nos últimos cinco anos, não representam as despesas que sobem, anualmente, sempre acima da inflação. “Salários dos funcionários, luz, água, impostos, e outras despesas fixas, sobem cerca de 10% por ano”, justifica. Segundo Gomes, o impacto é ainda maior em Pernambuco, onde 75% das 3.000 farmácias representadas pelo Sincofarma são micro ou pequenas empresas.

Os cálculos para o aumento de 2019, segundo o Ministério da Saúde, seguem os critérios usados a partir de 2015, a fim de melhor adequar o índice à realidade do mercado farmacêutico, favorecendo a concorrência. “A fórmula de cálculo, aprovada por consulta pública, garante maior transparência, por detalhar toda metodologia de cálculo do ajuste; maior segurança, por utilizar apenas fontes oficiais e públicas; maior previsibilidade, por determinar datas de divulgação dos fatores; e maior racionalidade, por estimar com maior precisão a concorrência de mercado e por usar fontes que refletem melhor todo o mercado brasileiro de medicamentos”.


O ex-senador Magno Malta concedeu uma entrevista a uma emissora de rádio e prometeu processar os autores de uma matéria com especulações sobre o suposto rompimento entre ele e sua esposa, a cantora e deputada federal Lauriete (PR-ES), e pediu orações por sua saúde.

Na última semana, especulações sobre o fim do casamento entre Magno Malta e Lauriete surgiram nas redes sociais e ganharam notoriedade em uma matéria de um portal capixaba. Já na última segunda-feira, 04 de fevereiro, o ex-senador havia usado seu perfil no Instagram para desqualificar as especulações, que sugeriam um caso de adultério como motivo da separação.

“Quando você luta por valores, defesa das crianças e família tradicional, se prepare que vem ataque sujo de gente inescrupulosa de todo lado!”, escreveu Malta na legenda de uma foto.

Agora, na entrevista à rádio A Cor da Vida FM, Malta disse que há pessoas que acreditam que a “internet é terra de ninguém” e adotam uma postura “nefasta”, e por isso espalham rumores sem pudor.

“Você fala o que quer, não é obrigado a provar, se esconde, quando é chamado na Justiça, diz que foi gasparzinho. Põe a culpa em gasparzinho, ‘não foi ninguém, eu ouvi falar’. Eu estou aqui para dizer que isso é um crime horroroso, e dizer às pessoas que, gente como eu, que já recebeu centenas de ataques pelas minhas posições contra o narcotráfico, pedofilia, defesa de valores, defesa de pessoas, da família tradicional, de vez em quando aparece um [tentando prejudicar]”, disse o senador.

“Agora, um ataque à minha honra, ao meu casamento, a mim, a Lauriete, sabe? E se vangloriando disso! Por isso eu quero dizer a todos vocês que receberam essa notícia mentirosa, criminosa, safada, que tudo isso é mentira, invenção, daqueles que acham que podem destruir a honra alheia”, acrescentou o ex-senador, prometendo processar os autores dos rumores.

Medula

Malta ficou internado em Brasília entre a quarta-feira, 30 de janeiro e a última segunda, 04 de fevereiro, para tratar de sua medula. Ele sofreu uma lesão anos atrás em um acidente. Após receber alta, publicou um vídeo no Instagram agradecendo as orações.

“Obrigado pelas orações. Vocês sabem que eu fui internado na quarta-feira próxima passada, recebi alta hoje para tratamento da minha medula. Eu sou lesionado, os problemas se agravaram, mas […] Deus tem me guardado, tem estado comigo o tempo inteiro, e eu confio nisso. Estou na mão de Deus. Recebi alta para poder, amanhã, começar um tratamento, um procedimento nos meus joelhos. E continua o procedimento na minha medula. […] Ore por mim”, afirmou.

Na entrevista à emissora de rádio, Malta mencionou a situação de seu saúde e também pediu orações: “Peço a vocês que orem, que coloquem nossa vida na mão de Deus. Lauriete está aqui na Câmara Federal trabalhando, e eu estou aqui lutando com a minha saúde”.