Um jovem foi espancado até a morte após atropelar e matar uma criança de 1 ano e 4 meses no bairro Nazaré, em Natal, na noite de sexta (12).

De acordo com a Polícia Civil, o motociclista – identificado como Mateus Miranda do Nascimento, de 18 anos – estava empinando a moto pela Avenida Lima e Silva quando, próximo à Travessa Vila Viana, perdeu o controle do veículo e atropelou a criança. Kauan Henrique estava com a mãe no momento do acidente e morreu na hora.

Ainda segundo informações da polícia, o motociclista tentou fugir do local do acidente correndo, mas foi pego por populares que o espancaram até a morte. O jovem ainda levou uma facada no peito.

De acordo com o delegado Rysklyft Factore, os responsáveis pelo linchamento ainda não foram identificados, mas pelo menos cinco pessoas participaram do crime. Mateus Miranda não tinha passagem pela polícia.

Esse é o segundo caso de linchamento em Natal em dois dias. Na quinta-feira (11), um homem suspeito de assaltar um ônibus na Ribeira foi pego, amarrado pelo pescoço, arrastado pelo pescoço, espancado e baleado.


As esposas, companheiras, amantes e namoradas dos presidiários  do Ceará poderão passar a noite e madrugada de sábado (22) para domingo (23) dentro das cadeias para visitas íntimas com seus companheiros. Segundo o Ceará News7, mesmo com presídios e cadeias superlotadas, a Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejus) permitiu a visita, o que duplica a superlotação nas unidades prisionais.

Ainda de acordo com a publicação, a “liberação” já está publicada em portaria da Coordenadoria Especial do Sistema Prisional (Coesp), número 02/2018, da Sejus, e foi denominada de “Pernoite do Dia dos Presos”.  A medida sustenta que o “pernoite” atende  “à necessidade de manter o vínculo familiar dos detentos do Estado do Ceará”.

Além da pernoite das companheiras, no domingo, os presos poderão, ainda, receber mais uma visita extra, “preferencialmente, a genitora dos internos”, diz o documento.

As detentas do Instituto Penal Feminino também vão receber o mesmo direito de receber seus companheiros e companheiras para uma noite em homenagem ao “Dia do Preso”.


Uma funcionária pública da Secretaria Estadual de Transportes (Setran), do estado do Pará, viajou para a Rússia com o marido para assistir os jogos da seleção brasileira na Copa do Mundo. Entretanto, ela não estava de férias, nem ao menos afastada do trabalho e deixou todos os pontos do trabalho assinados até o final do mês.

A funcionária trabalha no Departamento de planejamento do órgão. A foto do ponto assinado pela funcionária foi divulgada pelo portal Roma News. A engenheira está na Rússia, ao menos, desde o dia 17 de junho, quando a seleção estreou na Copa jogando contra a Suíça. Na ocasião, a servidora apareceu em uma foto com as bandeiras do Brasil e do Pará nas arquibancadas do estádio.

Procurada, a Setran afirmou que o órgão não é responsável por disciplinar o horário do expediente dos servidores, o que seria uma função da Secretaria Estadual de Administração. //Varela Notícias


A Seleção Brasileira entra em campo mais uma vez nesta quarta-feira, 27, contra a Sérvia para o último confronto da frase de grupos da Copa do Mundo na Rússia. E pelo desempenho dos jogadores nos dois últimos jogos, os brasileiros estão cada vez mais pegando no pé de Neymar.

Prova disso é a promoção de um bar carioca. A ideia é chamar os amigos para assitir o jogo no telão do estabelecimento, que apresenta um cardápio diversificado e um refil de chopp. Além disso, o que mais chama a atenção é o detalhe do anúncio. “A cada tombo do Neymar, uma rodada de shot por conta da casa para todos os clientes”, afirma na publicação.


A Justiça do Trabalho de São Paulo condenou a empresa GR Serviços e Alimentação, proprietária de uma franquia da cafeteria Casa do Pão de Queijo, pela demissão de uma funcionária que bebeu uma garrafa de água de 500 ml durante o expediente. Cabe recurso à decisão. As informações foram divulgadas pelo G1.

A Justiça determinou o pagamento  de indenização por dano moral no valor de R$ 11.291, além das verbas relativas à demissão sem justa causa, que totalizam aproximadamente R$ 35 mil. Ao site, a GR Serviços e Alimentação informou que a decisão não condiz com as condições de trabalho no local e vai recorrer.

Segundo o Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-2), foi constatado durante o julgamento que a empresa não fornecia água nem disponibilizava filtro ou bebedouro para os empregados, descumprindo as normas previstas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

“A reclamada não contratou robôs. Seus empregados são seres humanos. Não se trata de luxo ou capricho, mas de necessidade fisiológica. A atitude de despedir sua empregada por justa causa por beber uma garrafa de água é, além de um exagero, um exemplo de desrespeito ao mais elementar direito de qualquer ser humano, que é o de matar a própria sede”, afirmou a juíza Luciana Bezerra de Oliveira na sentença.

A mulher demitida tem 21 anos e trabalhou como atendente nas lojas do grupo por pelo menos três anos, no Terminal Rodoviário do Tietê, Zona Norte de São Paulo. Ela mora no município de Arujá, na Grande São Paulo, e todos os dias fazia uma viagem de ônibus de aproximadamente uma hora pela Rodovia Presidente Dutra para chegar ao trabalho.

Ao G1, a ex-funcionária disse que segue desempregada desde o mês de dezembro. “Na volta do almoço, o gerente imediatamente me chamou para comparecer ao RH, onde me mostraram uma foto minha bebendo água. Perguntaram se eu sabia que a atitude era quebra de procedimento da loja e insistiram para que eu assinasse o documento que atestasse a minha própria demissão por justa causa. Eu respondi que sabia da existência da câmera de monitoramento e não vi qualquer problema em ser filmada tomando água. Me recusei a pedir demissão”.

Em nota, a GR Serviços e Alimentação informa que vai recorrer da decisão judicial, “ [A decisão judicial] foi baseada em uma versão que não reflete o verdadeiro motivo da demissão e não condiz com as condições de trabalho oferecidas aos seus colaboradores”.

Segundo a empresa, todos os funcionários têm acesso permanente e de forma adequada à agua e alimentação. Além disso, reforça que tem “práticas e políticas voltadas a priorizar o bem-estar de seus colaboradores”.


Os caminhoneiros acompanham o andamento das negociações das transportadores acerca da tabela do frete mínimo. Nas redes sociais, os motoristas temem que o lobby dos grandes grupos consiga derrubar a tabela recém instituída pelo governo como contrapartida ao fim da greve. Mas eles prometem resistir, informa o Estadão.

Ivar Luiz Schmidt, representante do Comando Nacional do Transporte (CNT), que foi o grande líder da paralisação de 2015, participa de quase 90 grupos na rede. “Tá todo mundo só esperando que a tabela seja derrubada para parar tudo de novo”, afirma. “E, pelo que estou vendo no WhatsApp, pode ter certeza de que isso vai acontecer.”

A tabela de preço mínimo do transporte rodoviário – definida às pressas pelo governo para interromper a greve na semana passada – é considerada a maior vitória dos caminhoneiros nos últimos tempos. Mas, diante da reação do empresariado (principalmente representantes do agronegócio), eles começam a temer que essa conquista esteja com os dias – ou horas – contados.


O governo federal publicou nesta sexta-feira (1º) no “Diário Oficial da União” um decreto que reajusta o valor mensal dos benefícios do Bolsa Família.

Pela publicação, pessoas em situação de pobreza e extrema pobreza receberão R$ 89 como benefício básico. Atualmente, o valor é de R$ 85.

O valor variável mensal neste caso passa a ser de R$ 41 por pessoa da família até o limite de R$ 205 por família. Atualmente esse benefício é de R$ 39, até o limite de R$ 195.

Para as famílias com adolescentes de 16 a 17 anos de idade matriculados na escola, o benefício variável passará de R$ 46 para R$ 48 por beneficiário, até o limite de R$ 96 por família.

O presidente Michel Temer havia anunciado o reajuste do benefício em pronunciamento dedicado ao 1º de Maio. Após a declaração, o Ministério do Desenvolvimento Social informou que o aumento terá um impacto adicional de R$ 684 milhões nas contas públicas.

A publicação ainda reajustou o valor de renda mensal para ter direito ao benefício. Pelas novas regras, famílias em situação de pobreza precisarão comprovar que ganham até R$ 178 por mês per capita, enquanto aquelas em situação de extrema pobreza deverão comprovar renda de R$ 85 por mês por pessoa.

Os novos valores entram em vigor a partir de 1º de julho.


Os petroleiros acreditam que a pauta do preço dos combustíveis ajudará a trazer apoio da população à greve de 72 horas marcada para a próxima quarta (30) e prometem paralisação por tempo indeterminado caso não haja negociações. Nas últimas greves, os petroleiros têm conseguido reduzir a produção de petróleo, principalmente na Bacia de Campos, mas costuma haver poucos efeitos na produção de combustíveis, que é mantida por equipes de contingência.

“Agora o que está em jogo é a privatização das refinarias. As pessoas sabem muito bem que não terão o emprego. Há uma consciência maior da categoria e da sociedade também. Então essa greve vai ser diferente”, diz o diretor da FUP (Federação Única dos Petroleiros) Deyvid Bacelar.

Os sindicatos pedem mudanças na política de preços da Petrobras e a substituição de Pedro Parente no comando da companhia. Alegam que a política atual prejudica a empresa, ao permitir que importações tomem mercado do combustível brasileiro. “A empresa está sendo prejudicada, pois as refinarias estão operando com cargas muito reduzidas, e a BR Distribuidora está perdendo participação no mercado”, argumenta Bacellar, que já participou do conselho de administração da companhia.

De fato, no primeiro trimestre, as refinarias operaram com 77% de sua capacidade. A perda de mercado foi uma das justificativas apresentadas pela estatal para autorizar reajustes diários em julho de 2017. Bacelar defende a política adotada durante a gestão José Sergio Gabrielli, no governo Lula, que previa o acompanhamento do mercado internacional no longo prazo: os combustíveis passavam alguns períodos acima das cotações externas e outros abaixo.

“Tudo bem houve um período de controle excessivo talvez. Mas também, não precisa ser nem 8 nem 80”, disse o sindicalista, referindo-se ao governo Dilma, quando o represamento de preços trouxe perdas à estatal. “Essa é uma greve de advertência. Uma greve por tempo indeterminado ainda será marcada”, afirmou. “A pauta é viável, só depende do governo federal.”

APOIO
A FUP só incluiu os preços da gasolina e do diesel na pauta da greve marcada para essa semana após o início da paralisação dos caminhoneiros. Antes, a greve estava sendo convocada para protestar contra o plano de venda de ativos da Petrobras. “A greve por tempo indeterminada foi aprovada por mais de 90% dos petroleiros, em resposta ao maior desmonte da história da Petrobras, que avança sobre as refinarias, fábricas de fertilizantes, terminais e dutos de transporte”, disse a entidade em comunicado divulgado no dia 17 de maio.

Após o início da paralisação dos caminhoneiros, a questão dos preços dos combustíveis passou a fazer parte da lista de justificativas para a greve. Em comunicado do dia 22, a FUP passa a dizer que “a redução dos preços dos combustíveis é um dos eixos da greve”. “O aumento diário dos preços da gasolina e do diesel faz parte do pacote de desmonte que a empresa vem sofrendo nesses dois anos do golpe”.

No dia 26, a entidade anunciou a paralisação de 72 horas dizendo que os petroleiros “vão à grave para baixar preços da gasolina e do diesel”. Os sindicatos dizem que a gestão da empresa pratica preços altos para permitir a importação de diesel dos Estados Unidos. A greve começou a ser votada na segunda semana de maio, em assembleias nos 13 sindicatos filiados à FUP. Outros cinco são filiados à FNP (Federação Nacional dos Petroleiros), que decidiu aderir à greve na semana passada, mas por tempo indeterminado.

No mercado, porém, há grande apreensão com relação à greve anunciada, já que o tema combustíveis está mais próximo da população em geral do que pautas anteriores sobre reajustes salariais e benefícios da categoria.

OUTRAS CATEGORIAS
A Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais) afirmou em nota que o protesto dos caminhoneiros contra “a absurda política de aumento de combustíveis” representa a vontade de todos os brasileiros e, por isso, as entidades sindicais dos policiais apoiam o movimento. “A luta da categoria é a nossa luta”, escreveram.

Os motoboys de São Paulo também demonstraram apoio aos caminhoneiros. “Já praticamente aderimos à greve desde quarta, pela indignação com os preços e porque não temos gasolina para abastecer as motos”, diz Gilberto Almeida dos Santos, presidente do SindimotoSP (sindicato dos motociclistas do estado), que conversa com outras categorias para organizar um ato na próxima sexta (1º) em frente ao prédio da Petrobras, na avenida Paulista.


O presidente Michel Temer anunciou na noite deste domingo (27) uma série de medidas para tentar debelar a greve de caminhoneiros que chegou ao sétimo dia.

Entre as iniciativas, o governo editou uma Medida Provisória para estabelecer o valor de frete mínimo e ainda baixou em R$ 0,46 por litro de diesel pôr sessenta dias,  com a redução da Cide e do PIS/ Cofins somadas prometeu isenção em pedágios de todo país de caminhão vazio, preço tebela com preço mínimo de fretes, 30% dos fretes da comab, refem desde a última quinta-feira (24) quando anunciou um acordo inexistente, o governo foi obrigado a recuar para tentar desobstruir rodovias em todo o país. “Vamos pagar essa diferença de custo sem nenhum prejuízo para a Petrobras”, afirmou Temer em pronunciamento. “Compreendemos as dificuldades naturais dos caminhoneiros, mas são incríveis os depoimentos que temos recebido referente à falta de medicamentos e insumos básicos na área medicamentosa”, completou o presidente.


 

Um avião caiu em uma área de mata, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, na manhã desta quinta-feira (24). O acidente ocorreu por volta das 7h40, no bairro de Santa Cruz. A aeronave era do tipo caça, um modelo F-5F, que decolou da Base Aérea do bairro. Segundo informações do G1 BA, os dois pilotos acionaram o dispositivo de segurança e foram ejetados. De acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), a queda ocorreu depois que a aeronave sofreu uma pane.